Tag Archive: Relacionamentos


Como já dizia o cantor:

“Hiprocrisiiaa… eu tenho uma pra viveer! Pra viveer…”

Ops, acho que não era bem isso.

Mas a paródia à Ideologia, de Cazuza, ainda cabe. Em tempos, em que o dualismo de ideologias talvez só tenha estado tão em voga (e tenho cá minhas dúvidas) na Guerra Fria, pessoas trazem consigo, física e atualmente também virtualmente, discursos ideológicos cada vez mais cheios de sentimentos, outras de conteúdos inclusive. Mas na prática a coisa não é bem assim.

Vale lembrar a regra máxima do respeito, ou da liberdade:

Minha liberdade termina quando começa a liberdade da próxima.

E como tenho me revoltado muito com os discursos vazios e a hipocrisia do dia-a-dia, fiz uma lista de exemplos pra ver quantos nos identificamos. Não que eu seja perfeito. Não que não tenhamos intenção de fazer uma coisa mas consigamos agir exatamente ao contrário de vez em quando. Não que não sejamos ignorantes e diversas vezes nem percebemos a hipocrisia em nosso discurso. Mas temos que ficar ligados e por isso fiz esta lista: pra galera se antenar. Existem hipocrisias de todos os tipos e magnitudes. Vamos lá?

Hipocrisias no trânsito:

  • Reclamar de engarrafamento mas ir de carro pro trabalho.
  • Reclamar do trânsito parado mas estar sozinho dentro do carro.

Hipocrisias ambientais:

Tem nível superior ou está na faculdade, portanto já estudou pelo menos 12 anos da vida e ainda:

  • não sabe apagar a luz ao sair dos ambientes;
  • não sabe guardar bituca de cigarro pra jogar na lixeira;
  • aliás, nem sabe jogar lixo seco nas lixeiras e ainda joga no chão, ainda mais as feitas para recicláveis.

Outras ambientais:

  • Fazer campanha para abaixo-assinado para salvar as baleias, mas jogar plástico nas ruas ou comer carne.
  • Tem dó de cachorro ou animais abandonados ou de maltratos a animais (cães, cavalos, gatos), mas come carne de animais criados confinados.
  • Se preocupa com a preservação dos mares, e/ou tem adesivo no carro “Destrua as ondas, não as praias”, mas come peixes (que foram pegos em pesca industrial e levam à maioria dos bichos aquáticos à extinção).

Hipocrisias Sociais:

Pessoas em situação dominante, ou não oprimidas tomando decisões importantes pelas oprimidas sendo que estas estão presentes.
Bora desenhar, digo, descrever:

  • Homens brancos tomando decisões que afetam mulheres negras;
  • Homens hétero cisgênero tomando decisões para mulheres ou para pessoas não cis (trans, gays, bi);
  • Ricos tomando decisões que afetam aos pobres;
  • Religiosos tomando decisões que influenciam na liberdade de pessoas não religiosas.

Outras sociais:

  • Policiais enfrentando/batendo em civis que se manifestam em luta pelos direitos dos policiais.

LINKS – LEIA TAMBÉM:

Páginas interessantes sobre o assunto, com outras opiniões. Leituras complementares. (Os links a seguir não necessariamente representam a opinião deste autor, alguns inclusive contradizem. Tem, portanto, função de enriquecer a discussão e fazer você desenvolver sua própria opinião.)

1.

 

Roteiro para DR

Roteirinho básico para ser preenchido antes das Discussões de Relacionamentos – D.R.

Como se a vida fosse simples assim… mas não custa tentar:

Antes de ter a DR, leia o texto a seguir:

RELACIONAMENTO É PARCEIRIA E NÃO PROPRIEDADE – https://ventomar.wordpress.com/2015/06/08/relacionamento-e-parceria-e-nao-propriedade/.

Entendida esta parte, vamos a diante.

A ideia é você e seu parceiro preencherem individualmente e à vontade as tabelas abaixo, sem se censurar, livremente, para conversarem e definirem em data a ser marcada como será agora e depois o relacionamento, caso queiram permanecer juntos. Coloque tudo o que considerar importante, sem medo, sem vergonha. Pode colocar mais de uma opção de resposta isso ou aquilo, assim ou assado. É bom ir pensando e escrevendo já por alguma semana antes da DR, que dá tempo de amadurecer e modificar até conversarem. Quando achar que está maduro, troque com o parceiro.

São duas partes iguais em cada tabela: uma referente ao agora e outra referente aos desejos futuros.

Para cada pergunta há duas respostas necessárias: a situação ideal pra você e o mínimo esperado para ser bom, ou o tolerável no relacionamento.

A tabela do Futuro pode ser copiada diversas vezes criando novas etapas com prazos diferentes. Também pode-se adicionar uma ultima coluna com: “Exceto ou não aceito”.

Divirta-se.

PRESENTE – HOJE
Pergunta Ideal
No minimo
O que quer ou que tipo de relação VOCÊ quer ter com outras pessoas?
O que quer comigo?
O que espera do nosso relacionamento?

(exemplos: Relacionamento: Abrir, Trair, Mentir ou Respeitar, Falar, Confiar? )

Como isso funcionaria na prática?

E no Futuro?

FUTURO – A partir de quando??? >_______________
Pergunta Ideal
No minimo
O que quer ou que tipo de relação VOCÊ quer ter com outras pessoas?
O que quer comigo?
O que espera do nosso relacionamento?

(exemplos: Relacionamento: Abrir, Trair, Mentir ou Respeitar, Falar, Confiar? )

Como isso funcionaria na prática?

Mostrou a ideia pr@ parceir@?

Preencheu tudo. Pensou bem? Deu tempo a si para amadurecer tudo o que escreveu?
Agora é só levar para @ parceir@ para discutirem.

Possivelmente depois de ler e pensar tudo isso já acalmaram os ânimos e nem precisem mais da D.R. Talvez seja essa a ideia. Mas se ainda precisarem, terão algo claro dos objetivos de cada um. Se muito divergentes, sigam seu caminho em liberdade. Se tudo a ver, voltem a ficar bem.

Aposto que tem gente que vai pedir pro parceiro assinar o questionário depois pra ter como prova do que foi acordado. Boa sorte!

Qual a dificuldade das pessoas em entender que relacionamento é parceria e não propriedade?
Que se está com a pessoa e não se tem a pessoa.
Ele deixa de fazer algo contigo para supostamente ficar com outras pessoas ou faz isso sem perder tempo que estaria com você?
Ele deixa de te dar amor e carinho por isso?
Se sim, converse com ele. Se não por que se incomoda? Podes também propor direitos iguais, que tal você ficar com gatinhos(as) também? Já imaginou poder ficar com ele sempre que ambos puderem, e quando ele não puder mas você estiver livre poder ficar com outras pessoas ou fazer coisas que você gosta?

(esta foi uma resposta a mais uma das milhões de bobagens de gente que não sabe lidar com aparentes “traições”:
https://www.facebook.com/UFSCSegredos/posts/1608359669422484?comment_id=1608371539421297)

Já disse o Osho:

KARMA

Primeiro fique sozinho.
Primeiro comece a se divertir sozinho.
Primeiro amar a si mesmo.
Primeiro ser tão autenticamente feliz, que se ninguém vem, não importa; você está cheio, transbordando.
Se ninguém bate à sua porta, está tudo bem –
Você não está em falta.
Você não está esperando por alguém para vir e bater à porta.
Você está em casa.
Se alguém vier, bom, belo.
Se ninguém vier, também é bom e belo
Em seguida, você pode passar para um relacionamento.
Agora você se move como um mestre, não como um mendigo.
Agora você se move como um imperador, não como um mendigo.
E a pessoa que viveu em sua solidão será sempre atraídos para outra pessoa que também está vivendo sua solidão lindamente, porque o mesmo atrai o mesmo.
Quando dois mestres se encontram – mestres do seu ser, de sua solidão -felicidade não é apenas acrescentada: é multiplicada.
Torna-se uma tremendo fenômeno de celebração.
E eles não exploram um ao outro,, eles compartilham.
Eles não utilizam o outro.
Em vez disso, pelo contrário,
ambos tornam-se UM e
desfrutam da existência que os
rodeia.
_
Osho

Vejam também:

1. Relacionamento: Abrir, Trair, Mentir ou Respeitar, Falar, Confiar? – https://ventomar.wordpress.com/2014/05/26/abrir-trair-mentir-ou-respeitar-falar-confiar/.

2. Destruindo o preconceito: gêneros, sexualidades e outros – https://ventomar.wordpress.com/2014/06/04/destruindo-o-preconceito-generos-sexualidades-e-outros/.

3. Roteiro para Discussão de Relacionamento – https://ventomar.wordpress.com/2015/08/10/roteiro-para-dr/.

4. Tudo deu errado, não teve jeito = Dicas para esquecer um amor ou relacionamento – http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/3-dicas-da-ciencia-para-esquecer-um-amor/.

5. Sexo casual não precisa ser vazio, frio, raso. http://lounge.obviousmag.org/coffee_is_my_boyfriend/2015/09/sexo-casual-nao-precisa-ser-raso.html.

TRAIR OU NÃO: EIS A QUESTÃO

Em relacionamentos sempre aparece a questão de traição. Sempre.

Acredito muito na liberdade individual dentro dos relacionamentos. Não estou defendendo a traição. Apenas que os casais devem, e muito, se curtir ao máximo, e em alguns momentos de seu longo tempo juntos, devem experimentar coisas e/ou pessoas diferentes para aprender algo novo, mesmo que seja para concluírem que não gostam disso ou daquilo, ou que se amam tanto que não precisam de mais ninguém ou de nenhuma fantasia diferente ou extra-conjugal.

Mas como conversar sobre isso? Em qual perfil vocês podem se encaixar ou querem provar? Após conversas com diferentes amigos e outras fontes, resolvi escrever um outro ponto de vista sobre o assunto traição. Normal sentirmos medo de sermos traídos. Ninguém gosta de ser traído. Digo ninguém com tanta razão pois, se é consentido, não é traição, mesmo que seja uma fantasia ou maquiado para que pareça traição (pra quem aprecia, cornos, cuckholders e afins, o que é outro assunto). Então, por que tememos?

Tememos ser traídos por medo de perder.

Perder o que? Esta é a questão. Por medo de perder “o outro”, a pessoa que nos escolheu para viver conosco. Mas pera aí. Então pessoa trai, se arrepende e conta para a mulher ou marido a fim de não ter mais segredos. E o indivíduo que “foi traído” termina, “por que não dá mais pra confiar! Acabou. Ponto final. Tchau”. É isso aí. Pronto ferra tudo… E todos aqueles anos de relacionamento, toda a história que passaram juntos, todos momentos lindos, quem sabe até filhos, tudo de bom, sonhos, amizades, cartinhas, passeios, viagens, fotos… etc etc coraçõezinhos e blá blá blá = tudo jogado fora e restrito ao passado, por causa de uma ação boba não perdoada?????? Pera aí, não faz o menor sentido isso!!!! Não estou defendendo que devemos ser tapados e cornos mansos e perdoar todas as traições ou que nunca devemos contar pra não machucar o outro. Apenas quero incitar a reflexão. Que se pense, de preferência antes de fazer. Que, de preferência, haja consenso.

Nossos relacionamentos são reflexo de nossa sociedade.

Os relacionamentos amorosos (e não só eles) são muito baseados na educação que recebemos, principalmente da sociedade. E nossa sociedade é tradicionalmente proprietária, machista e conservadora, mas também burra. Consequentemente os relacionamentos convencionais, hoje, são assim também. Felizmente o mundo está aprendendo a ver (o óbvio) que os seres são humanos, são vivos e que humanos não são propriedade.

Exemplificarei abaixo alguns tipo de relacionamentos possíveis, dos que já ouvi falar, para vocês – pessoas parceiras, namoradas, casadas – conhecerem e escolherem. Após a escolha, conversem bem, deixem claras as regras, e experimentem. Também definam uma data para conversar sobre o assunto e avaliar se o tipo de relacionamento serve para vocês, ou se não, trocar por algum outro.

Para entender os tipos vale esclarecer algumas expressões:
Ficar: 1. ter intimidade com alguém por um tempo. 2. beijar alguém com intimidade, normalmente na boca e de língua.
Amassos: troca de carícias, envolvendo normalmente beijos, carinhos e carícias com as mãos e outras partes do corpo. “Mão-boba”.
Amassos calientes: troca de carícias, envolvendo normalmente beijos, carinhos e carícias com as mãos e outras partes do corpo com os órgãos sexuais e partes íntimas, sem haver penetração. Também chamado comumente de preliminares. “Mão-boba” acompanhada de masturbação e/ou sexo oral, chupadas, sem haver penetração se encaixam neste padrão.
Transar: Ter relações sexuais com alguém envolvendo penetração ou intimidades profundas entre os órgãos sexuais e partes íntimas.

Tipos de Relacionamentos comuns:

Tipos de Relacionamento

 Descrição

Convencional Se caracteriza por um casamento ou namoro sem conversa sobre que tipo de relação o casal vai optar por ter, pois está subentendido por ambos, devido ao que acreditam que a sociedade prega, “que é óbvio” e não precisa se falar a respeito. Aqui em nossa sociedade ocidental, patriarcal, machista (enrustida) e conservadora ficará subentendido, e será considerado óbvio portanto, que não se pode ficar com outras pessoas. Nenhum dos dois pode sequer pensar em ficar com outras pessoas. Este tipo de relacionamento é o que acarreta muitas cenas públicas ridículas de ciúmes entre casais, pois isto é prova cabal que não dialogam. Também conhecido como Relacionamento fechado óbvio, ou fechado convencional ou fechado tradicional. Ver site recomendado número 1.
Tradicional assumido Trata-se de um relacionamento tradicional contemporâneo onde o casal conversa e decide que esta é a melhor opção para eles: relacionamento de apenas duas pessoas – o casal (normalmente heterossexuais, mas pode ser tradicional da mesma forma em relacionamentos homossexuais) – onde nenhum dos dois terá relacionamentos com outras pessoas, sem ficar, e jamais pensar em algo mais complexo que isto como amassos, ou transar com alguém que não seja o casal, ou até mesmo traições virtuais – hoje em dia isto também tem que ficar bem claro – algo como: pode ou não fazer sexo virtual com outras pessoas, ou que tipos e conteúdos de conversas é possível ter com amigos ou desconhecidos pelo meio virtual.  Também chamado de relacionamento fechado consensual (leitura complementar 1).
Enrolados “Quando o casal está apenas ficando, mas ainda não consideram que estão namorando”. Por este motivo normalmente consideram que está subentendido que, se rolar, podem ficar com outras pessoas (novamente, pois é comum pessoas não gostarem de conversar sobre relacionamento). Neste caso o ficar pode tomar um sentido “mais adulto” e envolver amassos calientes e transas. Mas existem pessoas que acreditam que esteja subentendido exatamente o contrário: “que se está enrolado comigo não pode ficar com mais ninguém“. Detalhe que normalmente nunca falaram a respeito, pois neste tipo de relacionamento normalmente não se tem intimidade ou segurança para isso.  (1 e 2 e 3 e 4).
P.A. ou B.A. ou A.C. Siglas de Pau-amigo (ou Pepeka Amiga) ou Buceta-amiga ou Amizade Colorida. Semelhante aos enrolados ou ficantes, mas com a grande diferença de que deste relacionamento não se espera nada além de sexo. São pessoas normalmente amigas e boas de cama para quem “ligamos” quando estamos apenas com carência física de sexo. Não se trata de alguém que iremos convidar para o cinema, um jantar a luz de velas ou para apenas ficar conversando enquanto vemos um romântico pôr-do-Sol e sim para aproveitar que os roomates viajaram para inaugurar o colchão novo ou aquela lingerie safada. (18 e 26).
A Amizade Colorida se difere um pouco do P.A., pois pode ser um amigo, que sai e convida para a balada, sabendo que pode rolar um sexo gostoso depois, mas sem apego, sem compromisso, sem cobrança, sem ligar no dia seguinte: “só amigo”, cineminha, balada, bar ou jantarzinho… mas com bônus quase certo depois.
Relacionamento Aberto e
Livre
Relacionamentos abertos possuem uma pessoa que é o centro da relação e a possibilidade de se envolver com outras, desde que com menor envolvimento.

Relacionamento Aberto Limitado: Um casal (namorados ou casados ou amasiados ou que morem junto), que decide de forma clara que é possível que algum dos dois, ou os dois, fiquem com outras pessoas fora do casal, mas com regras claras limitantes decididas por ambos em acordo mútuo, por exemplo: Só pode ficar com outra pessoa no mesmo ambiente (por exemplo em festas que ambos estejam) ou o contrário, sem que o outro veja, só em momentos que o parceiro não esteja junto;  ou Só com conhecidos ou o contrário – só com desconhecidos; ou Não pode deixar rolar amassos (não deixar rolar mão-boba, ou sem tocar partes íntimas, etc), sem sexo mas só beijos; ou que Sempre deve-se contar ao outro que ficou com alguém ou ao contrário, sem que o outro saiba; Só se for com pessoas do mesmo sexo (homo) ou só do sexo oposto; Só na casa do casal ou só fora ou só em locais específicos como boates comuns ou casas de swing; Se pode ou não conhecidos pela internet/tinder/etc; Se assumindo para os amigos/família ou em sempre em segredo; ou Só se for a 3 (menáge), isto é, sempre ambos ficando com uma terceira pessoa, o que, em casais hétero, sempre haverá um bi nestes momentos. Etc. As regras podem ser diversas, de acordo com a necessidade e criatividade do casal (2 e 63 e 104 e 119).

Relacionamento Aberto Completo: Semelhante ao anterior, em que o casal decide claramente que ambos podem ficar com outras pessoas, mas à vontade, quando, como e onde quiserem, sem necessariamente precisar dar alguma satisfação ao parceiro. É portanto o relacionamento com menor chance de traição, por definição (2 e 63 e 104).

Relacionamento Livre, RLi: é comumente confundido com aberto completo, mas o enfoque é um pouco diferente. Nesta forma de relacionamento não existe limite: estamos juntos por que queremos estar e isso nos faz bem, mas se quisermos ou não ficar com outras pessoas isso é possível.

AMOR LIVRE é algo ainda mais libertário, no sentido de considerar que não temos obrigação de nada. Se eu quiser ficar solteiro para sempre, que assim seja, e se  em algum momento quiser ficar com duas ou três pessoas simultaneamente, tá valendo. Basta lembrar a regra de respeito e consensualidade sempre. Não exijo nada e não aceito cobranças, só respeito. (Mais em 67 e 107 e em relacionamento anárquico, comparações com poliamor em 111 e 112, e 117 que explica bem como deve ser o sentimento livre e a importância de se amar por inteiro antes de amar outrem)

Corno assumido ou cuckold ou cuckquean
Neste tipo de relacionamento “aberto”, o casal conversa e decide que um dos dois será o corno e o outro o traidor. Em comum acordo esse papel pode ser trocado, ou não, sendo que o traidor pode passar a ser corno enquanto o corno passa a ser o traidor. Mas este tipo de relação SEMPRE envolve um que trai e o outro que não trai mas neste momento quer ou gosta de ser traído.   O tipo de relação mais comum envolve marido corno e esposa traidora (ou infiel, como eles dizem). De acordo com site especializado no assunto, o nível de cornitude pode variar, por exemplo, em um extremo de apenas gostar da ideia de aceitar, com prazer, em saber que sua esposa fica com outros homens sem saber os detalhes, até outro extremo ao ponto de ser humilhado por ela e pelos amantes dela, com direito a beber o esperma deles, e/ou usar um cinto-de-castidade ou gaiola-de-castidade (daí o nome em inglês cuckold), enquanto usa roupinhas femininas dela e chupa o amante junto com a esposa, e/ou até assumindo a gravidez dela pelo outro. Se a situação for exatamente inversa, em que o marido fica com outras pessoas e a esposa apenas assiste e consente, ela pode ser chamada cuckquean ou corna. (Leituras complementares 1014 e em especial o 15).
Relacionamento múltiplo assumido ou poliamor Aqui se encaixam as pessoas que possuem, assumidamente, relacionamento amoroso ou sentimental, com completo envolvimento, com mais de uma pessoa ao mesmo tempo. O tipo de relação em relação à fidelidade pode ser igual a qualquer um dos anteriores, mas neste caso não se trata de um casal de duas pessoas apenas, pode ter diferentes formas, das quais as mais comuns são:

Relacionamento a três ou threesome (que em inglês também é associado ao menáge, que é ato sexual envolvendo três pessoas) ou em português neologismo – trisal: Neste caso os três ficam entre si (ou não), podendo dividir a mesma casa e objetos, como acontece com um casal de duas pessoas, mas em três. Não preciso dizer que pode ser formado por três pessoas do mesmo sexo (MMM ou FFF) ou duas de um sexo e uma de outro (MFM ou FMF ou MMF ou FFM, etc). (19).

Relacionamentos duplos simultâneos (ou triplos ou mais): aqui o casal, normalmente namorado ou casado, assume que cada um tem um outro relacionamento independente com outra pessoa, que pode ser assumido em público ou apenas para os envolvidos. Por exemplo: o casal  – homem e mulher – são casados, mas ele tem a namorada dele, com quem também sai em público e ela até conhece a esposa e sabem uma da outra. E ela, a esposa, tem seu namorado, na mesma relação como a dele (que o marido tem com sua namorada). No caso, estes namorados do casal também podem ter outros relacionamentos com outras pessoas diferentes ou não.

Portanto, como falei acima, este “casal de 3″ ou  casal múltiplo” pode decidir ter um relacionamento tradicional assumido (fechado), isto é, sem ninguém ficar com qualquer pessoa além das envolvidas e que não estejam nessa relação, ou algo mais aberto, de forma limitada ou completa. (Ver Poliamor nos links relacionados – 24 e 33 e 68 e 102 e 103 e 105 e 111 e 112).

É importante realçar que EM TODOS OS TIPOS DE RELACIONAMENTOS citados, com exceção do primeiro (infelizmente) – convencional – devem sempre haver conversas claras entre o casal, deixando certo todas as regras do que se pode ou não se pode. E que além destes tipos mais comuns, existem outros que podem ser abordados em outro momento (16). Agora sim podemos afirmar que TRAIÇÃO é desrespeitar qualquer uma das regras conversadas anteriormente. Se não foi acertado, pode não ter sido traição, mas sim, falta de clareza. Isto é: conversem mais! Se não conseguem ter clareza no que pode ou não no vosso relacionamento, como querem ter um relacionamento saudável e seguro. Vale lembrar que alguns relacionamentos deixam as regras muito claras, mas elas não servem para os dois, isto é, os dois precisam aceitar as regras, sempre. Senão, não tenha essa relação. (Leituras complementares 4, 5, 6, 7, e 9 e 119).

tipos de poliamor

Mapa da Não-monogamia, a quem interessar entender que tipo de relacionamento não monogâmico deseja propor para seus parceiros.

Opção

Quando optamos por ter um relacionamento sério com alguém, seja namoro, casamento ou morar junto, fazemos um acordo. Esse acordo envolve muitas coisas, mas acredito que a mais importante é:

Tentarei te fazer feliz todos os dias que estivermos juntos!

Muito mais do que “não te trairei” ou “não beijarei mais ninguém” ou “não sairei do teu lado”, etc. Entende a diferença? (2 e 117) O que é te fazer feliz? Fazer feliz, é antes de tudo, entender o outro como indivíduo. Como ser independente de mim, com sua história e livre. Que está comigo por que quer, por que me ama e por nada mais. Por que sabemos ser felizes juntos.

Mas quem ama não trai!”

Não trai, mas deixa de fazer o que gosta? Isso pode não ser trair o outro mas ao deixar de fazer o que gosta, você não está deixando de ser você? E deixando de ser você não está se traindo? Isso não é bem pior?

Depois que houver traição nunca mais será a mesma coisa“.

Sério que teu relacionamento e uma linda história de amor, futura família e tudo o mais se resume a isso?

Como você se sente quando sai na rua, num dia comum, e no sentido contrário vem aquele monumento artístico lindo do sexo oposto (ou não para os homos e bis), te dá aquela olhada de cima abaixo que inevitavelmente te faz sorrir?

Em minha doce e humilde opinião, jamais deveríamos nos sentir culpados por isso e sempre felizes, mesmo que apenas por dentro. Mas quando estamos em relacionamentos opressores (seja pelo parceiro ou pela nossa educação cultural ou familiar ou religiosa), nos sentimos mal após passar por essa deliciosa experiência e culpados por termos nos sentido bem. Mas se sequer nos sentimos felizes e nem tivemos vontade de sorrir com esta situação, acho que precisamos de uma terapia – sério! Mas se nos sentimos felizes e preferimos esconder isso do mundo e do parceiro, acho que é bom rever seu relacionamento. Quem disse que seu parceiro não sente o mesmo? Quem disse que isso não pode ser muito bom para ambos, e ainda assim continuarem casados e felizes para sempre… só que com uma autoestima bem melhor. Não acha?

Lembro que estou aqui para instigar e não apresentar respostas. Muitas vezes os casais (que inclusive podem ser de mais do que duas pessoas como explicado no quadro acima, papo para outra postagem, por que não?) NÃO querem ficar com outras pessoas. Tudo certo, que não fiquem e sejam felizes. Muitas vezes (que creio ser mais comum), as pessoas pensam em ficar com outras pessoas eventualmente (sem perder o lindo sentimento pelo parceiro), mas não o fazem por terem esse acordo, na maioria das vezes apenas implícito (isto é, sem nunca terem conversado a respeito, como explicado no quadro acima). Ou o fazem em segredo, pois a pessoa parceira “jamais entenderia”, ou “não perdoaria”. Mas por que não conversam então?

O grande problema volta a ser que as pessoas não conversam!!!!

Por isso enquanto namorados, o ideal é que as pessoas tenham abertura para conversar sobre TUDO com seus parceiros, sempre. Claro que o mundo não é assim perfeito e as situações e climas nem sempre nos favorecem. Mas que nos permitamos estar abertos a estes assuntos. Antes de mais nada, a ouvir o parceiro, sem julgar. (4)

Fácil falar né? Agora vamos tentar…

É, na prática pode não ser tão fácil, ainda mais em relacionamentos que já estão viciados nos mesmos assuntos. Mas Não é impossível, convenhamos.

Como fazer afinal?

Proponho que em vez de trair, a opção seja de conversar com o parceiro antes de ficar com outras pessoas e, neste caso, assumir um relacionamento com abertura eventual ou permanentes, mas, diga-se de passagem, sempre assumidas para ambos e de preferência combinados todos os detalhes (ver exemplos de Relacionamento aberto limitado no quadro acima). Isso ainda não é necessariamente ter um relacionamento aberto. Não é porque vocês combinaram que dia tal vão ver se agarram alguém, que já vai sair por aí mudando seu status de relacionamento no facebook ou nas outras redes sociais, e começar a criar perfil de caça do casal em sites de relacionamentos. Não que não possam fazer isso, mas a proposta é bem diferente e bem mais simples. Se já conversaram sobre o causo de poder algum dia acontecer essa possibilidade, se ambos estão seguros e confiantes no seu taco, por que não aceitar aquela investida de um desconhecido ou mesmo de um conhecido distante? Tá, mas como assim? Seguinte, não há como negar que somos humanos. Vez ou outra na vida aparece alguém e dá em cima da gente. Nos relacionamentos fechados normais (convencionais ou tradicionais, conforme citado no quadro acima) fingimos que não vemos, ou cortamos assumidamente, ou cedemos secretamente e depois já sabemos o resto. Mas se essa pessoa que deixou a asinha no meio do caminho ou deixou cair o lenço for interessante? Por que não ficar atento ao sinal, sem necessariamente corresponder, e comunicar ao parceiro que “pode ser que” ou que “está rolando um clima”? A partir daí é combinarem se ambos concordam, como e quando isso poderia acontecer, se com a presença de ambos ou não, se o outro vai investir em outra pessoa no mesmo momento, no mesmo lugar ou a parte ou vai apenas ficar jogando cartas com os amigos, o que pode deixar rolar ou não, se o outro parceiro não quer fazer nada, etc. (ver exemplos de Relacionamento aberto limitado no quadro acima). Existem outras possibilidades, para casais menos abertos a conversa, mas que admitem que isso pode acontecer: Não contar, mas deixar autorizado que caso aconteça, deixa rolar. Isto é, uma autorização prévia, também concebida no relacionamento tipo aberto limitado (supra citado no quadro).

A questão em todos os casos é que fique tudo claro, sempre.

Ao menos em relação ao que pode e ao que não pode, para evitar que se machuquem, pois é isso que ninguém quer. Acredito que se o objetivo não é abrir o relacionamento para o público, que não se assuma. Evitem fazer isso em público. Sabemos que a sociedade ainda se preocupa mais com a vida alheia que com a própria. Realmente basta estar claro para os dois, isso é o que mais importa. Sem dúvida seria melhor não ser julgado, não alimentar fofocas, mas como diz a Adriana Calcanhoto na música do Leoni: “os outros são os outros e só”. Se acredita que está preparado para algo diferente ou não: Leia os artigos nos links ao final desta matéria.


(Pausa para lanchinho).

Se já entendeu pode parar de ler aqui e pular direto para os links ao final desta matéria, se está gostando ou se não entendeu, leia mais um pouquinho: (sugiro que leia o link 1 e volte aqui para ler o restante)

“Depois que houver traição nunca mais será a mesma coisa”. Será? Acho que o próprio conceito de “traição” pressupõe isso. Por isso é preferível que tudo fique às claras antes de acontecer. Mas digamos que “já foi”, “não deu pra resistir” e a “cagada já ta aí”, ainda sou adepto de manter a verdade, sempre. Acontece que se casamos ou namoramos sério, temos que saber como é o temperamento de nosso parceiro. Como ele reagiria a um caso desse tipo. Pois como em alguns exemplos acima, se o cara conhecia a parceira ao ponto de saber que ela JAMAIS perdoaria ao ponto de terminar a relação, sinceramente, era realmente melhor ter se arrependido sozinho e guardado pra si.

– Ah, mas estás defendendo quem age errado!!!

Não. De forma alguma. Mas sim estou questionando se vale a pena perder uma relação que tem tudo de muito legal, por causa de uma idiotice que já passou? Sinceramente acho que a mulher do caso contado no link 1 (leituras complementares abaixo) realmente não o merecia por ela ser besta assim de terminar após o parceiro contar a verdade sobre ter traído. Estou defendendo que felicidade é muito mais do que isso. Pensemos em todos os problemas de ter uma família que poderia se amar mas que está separada e criando filho a distância por uma bobagem. Bobagem sim. Começando por outro chavão:

“Nesta vida não temos nada de verdade. A única coisa que é realmente nossa é nosso corpo”.

Então, qual o problema de sentir prazer com meu corpo do jeito que eu escolher? Nenhum, desde que teu prazer não prejudique o meu! Neste sentido, não sou dono do teu corpo, pelo mais que sejamos casados. Teu corpo é teu!

Quando casamos ou namoramos firme ou moramos juntos, fazemos sim um contrato informal ou formal (para os que casam). E as entrelinhas deste contrato dizem que:

– Tentarei te fazer feliz todos os dias que estivermos juntos! E isto é mais importante que “serei 100% teu e de mais ninguém”, nem em pensamento (como se isso pudéssemos controlar).

O que isto quer dizer que: se teus atos não me fazem mal, se não te tomam o tempo que estarias comigo, se não deixarão você mal falado (infelizmente parte da sociedade é uma merda que se preocupa mais com a vida alheia que com a própria), se não te provocarão ao ponto de querer me deixar por causa deles, se não me deixarão nenhuma doença, se não prejudicarão nosso filho ou nossa convivência: – Viva e seja feliz!!! Como casal, prefiro que conversemos tudo isso antes, como bons amigos, e sabe por que amigos e não como namorados? porque amigos dão bons conselhos. Sempre defendi, em meus relacionamentos, que

antes de sermos amantes devemos ser bons amigos

e é inclusive isso que quero deixar claro. (Não é a toa que vou para 10 anos de relacionamento firme e estável em breve). Claro que tudo isso requer muita maturidade. E não, não começamos nosso namoro assim, isso fomos desenvolvendo ao passar dos anos, com muita amizade, muita conversa e confiança. Já tivemos nossas experiências, algumas como as citadas, gostamos de umas, desaprovamos outras, experimentamos enfim. A conversa e o acordo mútuo é a solução, sempre. Ambos devem estar satisfeitos. Na dúvida de como fazer, peça pro parceirx ler este texto e conversar contigo depois. Acho que pode ajudar. Passe o link pra ele. 😉 Trair, Mentir… não não, ou Abrir? vocês tem que ver se é pra vocês. Respeitar, Falar, Confiar? Ah, isso sempre.


LINKS – LEIA TAMBÉM:

Páginas interessantes sobre o assunto, com outras opiniões. Leituras complementares. (Estes links não necessariamente representam as ideias deste autor, apenas complementam ou até contrariam, para que você desenvolva sua própria forma de pensar)

1. Quando contar ou não sobre uma traição – http://www.pergunteaumamulher.com/2014/02/quando-contar-ou-nao-sobre-uma-traicao.html ou aqui.

2. Quiz: “Ninguém deveria se preocupar se o parceiro transa com outra pessoa” e teste para ver se sua relação te consome demais – http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2012/12/08/ninguem-deveria-se-preocupar-se-o-parceiro-transa-com-outra-pessoa-diz-psicanalista.htm ou aqui.

3 Coisas que você faz e destroem as suas relações – http://www.comum.vc/conteudo-aberto/2016/6/10/3-coisas-que-voce-faz-e-destroem-as-suas-relacoes.

4. Evitar discussões pode acabar com seu relacionamento – http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/evitar-discussoes-pode-acabar-com-seu-relacionamento/ ou aqui.

5. 5 Erros graves que cometi quando me iniciei no Poliamor (em espanhol e inglês) – “5 Errores Graves que cometí cuando me inicié en el Poliamor” (SIAN FERGUSON) – http://www.golfxsconprincipios.com/lamoscacojonera/5-errores-graves-que-cometi-cuando-me-inicie-en-el-poliamor-sian-ferguson/ ou 5 Dangerous Mistakes I Made When I Started Practicing Polyamory – http://everydayfeminism.com/2016/09/mistakes-made-practicing-polyamory/.

6. Nudez e vergonha do corpo – http://arthurlacerda.wordpress.com/2014/01/25/nudez-e-vergonha-do-corpo/ ou aqui.

7. Fotos de mulheres nuas discute sexualidade como tabu – http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2014/05/1452236-mostra-com-fotos-de-mulheres-nuas-discute-sexualidade-como-tabu.shtml ou aqui.

8. Relacionamentos Anárquicos em 8 Pontos – https://amoreslivres.wordpress.com/2013/07/20/relacionamentos-anarquicos-em-8-pontos/.

9. Fotos mostram os fetiches sexuais das pessoas – http://www.hypeness.com.br/2013/07/serie-fotografica-mostra-os-fetiches-sexuais-das-pessoas/ ou aqui.

10. Quer iniciar no mundo corno e não sabe como – http://mycuckold.blogspot.pt/. 11. Rede social sobre Fetiches, BSDM e outras parafilias – https://fetlife.com/.

12. O que são Parafilias – https://pt.wikipedia.org/wiki/Parafilia ou aqui.

13. Blog sobre BSDM, parafilias e outras formas de sexo diferentes – http://www.seuprazer.net/ ou aqui.

14. Várias postagens sobre ser corno ou cuckholding – http://www.seuprazer.net/category/parafilias/cuckold.

15. Manual para ser corno – http://www.seuprazer.net/manual-para-ser-um-corno-cuckold-fetish.html ou aqui.

16. Os 6 Tipos de Relacionamentos e como geri-los – http://www.lovesystems.com.br/conselhos_de_seducao/relacionamento ou aqui.

17. Casal Sem Vergonha, blog para pensar e abrir a cabeça saindo da rotina – http://www.casalsemvergonha.com.br/.

18. Pau-amigo, vários artigos – http://www.casalsemvergonha.com.br/?s=P.A..

19. Menage ou threesome, vários artigos – http://www.casalsemvergonha.com.br/?s=threesome.

20. Gosto não se discute: Fio dental para homens – https://estilo.catracalivre.com.br/2014/06/lancada-na-reino-unido-sunga-estilo-fio-dental-para-homens/.

21. Em defesa da liberdade de mostrar o peito: Biquini com estampa de mamilo – https://estilo.catracalivre.com.br/2014/06/mulheres-criam-biquini-com-estampa-de-mamilos-como-forma-de-protesto/.24

22. Ser humano deve trocar de parceiro a cada 5 anos – http://noticias.seuhistory.com/escritor-espanhol-garante-o-ser-humano-deve-trocar-de-parceiro-cada-cinco-anos.

23. 10 experiências sexuais que todos deveriam ter uma vez na vida – http://www.obaoba.com.br/pegacao/noticia/10-experiencias-sexuais-que-todos-deveriam-ter-uma-vez-na-vida.

24. Documentário mostra dia-a-dia de adeptos do poliamor – https://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/documentario-mostra-dia-a-dia-de-adeptos-do-poliamor/ – e o vídeo em – http://vimeo.com/23988620 ou https://www.youtube.com/watch?v=H3SbBZNotuc. Veja Também: Três documentários que falam sobre poliamor e suas infinitas maneiras de dizer ‘eu te amo’ – https://catracalivre.com.br/geral/invencoes-ideias/indicacao/tres-documentarios-que-falam-sobre-amor-e-suas-infinitas-maneiras-de-dizer-eu-te-amo/.

25. Fitoterápicos para aumentar a LibidoTribulus terrestris, Maca ou viagra peruano, Ginseng siberiano, e Gingko biloba – http://www.personare.com.br/fitoterapicos-para-aumentar-a-libido-m5207.

26. Regras para amizades coloridas – http://m.huffpost.com/br/entry/5648097.

27. A Monogamia é uma Prisão – O que é Monogamia, Poligamia e Relacionamento aberto – http://papodehomem.com.br/a-monogamia-e-uma-prisao/.

28. Felicidade dos recém-casados se esgota em dois anos, diz especialista OU DICAS PARA SER FELIZ – http://saude.terra.com.br/felicidade-dos-recem-casados-se-esgota-em-dois-anos-diz-especialista,301a9581f6c68410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html.

29. Monogamia pra quem? Blogueiras Negras – http://blogueirasnegras.org/2014/09/04/monogamia-pra-quem/.

30. A diferença entre amor e desejo, segundo seu cérebro – http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Neurociencia/noticia/2014/07/diferenca-entre-amor-e-desejo-segundo-seu-cerebro.html.

31. Casal religioso cria site de swing para troca de parceiros cristãos – http://revistamarieclaire.globo.com/Comportamento/noticia/2014/09/religioso-casal-cria-site-de-swing-para-troca-de-parceiros-cristaos-e-versiculos-da-biblia.html.

32. Testezinho bobo: Você tem ciúmes? – http://pt.what-character-are-you.com/d/pt/521/0.html#_=_ .

33. O que é Poliamor? – http://www.temilade.com.br/wordpress/?p=87.

34. Eu tenho uma revelação a fazer: Talvez você nunca tenha amado! (video) – http://www.contioutra.com/eu-tenho-uma-revelacao-fazer-talvez-voce-nunca-tenha-amado/.

45. Reduce Prostate Cancer Risk By Sleeping With Lots Of Women – But Not Men. (Dormir com mulheres diferentes reduz risco de cancer de próstata, mas não com homens – tradução livre do autor em favor da poligamia ou abertura do relacionamento por saúde) – http://www.science20.com/news_articles/reduce_prostate_cancer_risk_by_sleeping_with_lots_of_women_but_not_men-147845.

46. Entrevistas do Pergunte a uma Mulher – http://www.pergunteaumamulher.com/category/entrevistas/page/2 :
Com um homem hétero que pratica inversão – http://www.pergunteaumamulher.com/2013/03/entrevista-com-um-homem-hetero-que.html.
Sou mulher, comedora e dominadora. Qual é o problema nisso? – http://www.pergunteaumamulher.com/2014/03/sou-mulher-comedora-e-dominadora-qual-e-o-problema-nisso.html.
Como convenci minha mulher a transar com outro – http://www.pergunteaumamulher.com/2012/10/te-conto-como-convenci-minha-mulher.html.
Entrevista com um CrossDresser CD – http://www.pergunteaumamulher.com/2013/04/entrevista-com-um-crossdresser-cd.html.
Entrevista com casal Naturista/Nudista – http://www.pergunteaumamulher.com/2014/10/entrevista-com-um-casal-nudistanaturista.html.
Entrevista com um praticante de BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) – http://www.pergunteaumamulher.com/2014/06/entrevista-com-um-praticante-de-bdsm-bondage-disciplina-dominacao-submissao-sadismo-e-masoquismo.html.
Casal swinger, que faz troca de casais – http://www.pergunteaumamulher.com/2013/06/entrevista-sobre-swing.html.

47. Fotógrafa registra momentos íntimos de seu relacionamento aberto – https://estilo.catracalivre.com.br/modelos/fotografa-registra-momentos-intimos-de-seu-relacionamento-aberto/#.

48. Como seriam os relacionamentos humanos se nós usássemos rituais de acasalamento dos animais? – https://catracalivre.com.br/geral/sustentavel/indicacao/como-seriam-os-relacionamentos-humanos-se-nos-usassemos-rituais-de-acasalamento-dos-animais/ ou em inglês http://humoncomics.com/archive/animal-lives.

49. Terapeuta norte-americana se oferece para ‘dormir de conchinha’ com clientes. Ideia é criar energias amorosas sem conotação sexual. Conchinha, cafuné, abraço – https://catracalivre.com.br/geral/negocio-urbanidade/indicacao/norte-americana-cria-empresa-que-oferece-dormir-de-conchinha/https://www.facebook.com/CuddleUnyc.

50. Elas também curtem: sites pornôs para Mulheres que você precisa conhecer – http://vip.abril.com.br/elas-tambem-curtem-5-sites-pornos-para-mulheres-que-voce-precisa-conhecer/.

51. Novo app viabiliza sexo em grupo – https://catracalivre.com.br/geral/aplicativo/indicacao/novo-app-viabiliza-sexo-em-grupo/ e http://3nderapp.com/.

52. Carnaval 2015: Mocidade causa polêmica com casais de todos os gêneros em carro sobre sexo – http://extra.globo.com/noticias/carnaval/mocidade-causa-polemica-com-casais-de-todos-os-generos-em-carro-sobre-sexo-15350829.html.

53. O desapego nos relacionamentos – https://pramashanti.wordpress.com/2015/03/23/o-desapego-nos-relacionamentos/.

54. Cuidado: Entre quatro paredes: o machista de esquerda – https://hedra.com.br/blog/entre-quatro-paredes-o-machista-de-esquerda.

55. Mais que questão de respeito: Ilustrações mostram como comentários maldosos afetam a vida das pessoas. http://www.hypeness.com.br/2014/07/como-podem-ser-danosas-algumas-coisas-que-falamos/.

56. Deixa alguém gostar de você, caralho!!! – http://umtravesseiroparadois.com.br/deixa-alguem-gostar-de-voce-caralho/.

57. Nós, os fabricantes de solidão. É um erro acreditar que a experiência de se relacionar superficialmente irá gerar experiência para um relacionamento duradouro. Relacionar-se superficialmente ensina a ser cada dia melhor nisso, enquanto a experiência de fazer durar só se adquire fazendo durar – http://obviousmag.org/inquietudes/2015/05/nos-os-fabricantes-de-solidao.html#ixzz3a7L8ozSM.

58. Mulher tira folga do marido e vai para cama com estranhos durante um ano – http://ela.oglobo.globo.com/vida/mulher-tira-folga-do-marido-vai-para-cama-com-estranhos-durante-um-ano-15878553.

59. Se você é indeciso vale ler e tomar cuidado: Teoria das pessoas complexas – http://www.brasilpost.com.br/aina-cruz/teoria-das-pessoas-comple_b_7489582.html.

60. Promiscuidade e infidelidade estão no DNAhttp://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/promiscuidade-e-infidelidade-estao-no-dna/.

61. Você é uma pessoa emocionalmente forte? – http://www.equilibriovida.com/2015/07/voce-e-uma-pessoa-emocionalmente-forte/.

62. RELACIONAMENTO É PARCEIRIA E NÃO PROPRIEDADE – https://ventomar.wordpress.com/2015/06/08/relacionamento-e-parceria-e-nao-propriedade/.

63. O que um Casamento Aberto ensinou a um homem sobre Feminismo – http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2015/08/o-que-um-casamento-aberto-ensinou-um.html.

64. Selfies de Pênis, Fetiches e Putaria: Destrinchando uma Rede Social que Pretende Conectar os Surubeiros Brasileiros – http://www.vice.com/pt_br/read/sexlog-brasil-destrinchando-uma-rede-social-que-pretende-conectar-os-surubeiros-brasileiros.

65. Desde posições mais comuns até brinquedos mais usados, rede mapeou o perfil sexual do brasileiro – http://elastica.abril.com.br/o-sexlog-rede-social-de-sexo-reuniu-dados-reveladores-sobre-o-que-a-galera-curte-na-cama.

66. Dez coisas que homens fazem errado durante o sexo. http://vulvarevolucao.com/2015/10/05/10-coisas-que-homens-fazem-errado-durante-o-sexo/.

67. Amor livre ou sexo livre? Sobre amor, relacionamentos abertos e amizade. http://clitorislivre.com.br/2015/08/18/amor-livre-ou-sexo-livre-sobre-amor-relacionamentos-abertos-e-amizade/.

68. Poliamor é para pessoas ricas e bonitas. http://blogueirasfeministas.com/2014/02/poliamor-e-para-pessoas-ricas-e-bonitas/.

69. Traição é Natural? | Nerdologia 69. https://www.youtube.com/watch?v=IVHW4wx6R9A.

70. Tudo deu errado, não teve jeito = Dicas para esquecer um amor ou relacionamento – http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/3-dicas-da-ciencia-para-esquecer-um-amor/.

71. Sexo casual não precisa ser vazio, frio, raso. http://lounge.obviousmag.org/coffee_is_my_boyfriend/2015/09/sexo-casual-nao-precisa-ser-raso.html.

72. Relacionamento aberto for dummies: dez dicas do que é e do que não é – https://medium.com/@laurampires/relacionamento-aberto-for-dummies-dez-dicas-do-que-é-e-do-que-não-é-29055ec05ac6.

73. Não existe relação livre sem responsabilidade afetiva – https://amoreslivres.wordpress.com/2016/06/05/nao-existe-relacao-livre-sem-responsabilidade-afetiva/.

100. Meta: transar com 100 homens em 2011 – http://www.casalsemvergonha.com.br/2011/08/15/meta-transar-com-100-homens-em-2011/ ou aqui.

101. How Romanticism Ruined Love (Como o romantismo acabou com o amor – acione as legendas em português) – https://www.youtube.com/watch?v=jltM5qYn25w.

102. O que o Poliamor não é. https://vidapoliamor.wordpress.com/o-que-o-poliamor-nao-e/.

103. Quando dois é pouco – O poliamor como alternativa de relacionamento. http://www.sobrepsicologia.com.br/artigos/quando-dois-e-pouco.html.

104. O que os relacionamentos abertos têm a ensinar aos monogâmicos? – http://www.bbc.com/portuguese/vert-fut-36701662.

105. Sobre geração millennials e compersão: Os jovens estão realmente mais abertos ao poliamor ou só curtem trair? – http://www.vice.com/pt_br/read/poliamor-millenials-ciumes-traicao.

106. Quiz, Teste comportamento: Você daria conta de um relacionamento poliamoroso? – http://estilo.uol.com.br/comportamento/quiz/2016/07/19/voce-daria-conta-de-um-relacionamento-poliamoroso.htm.

107. Monogamia, Liberdade e Feminismo – http://aquelasmulheres.tumblr.com/post/74082902329/monogamia-liberdade-e-feminismo.

108. Amor e liberdade nos dias atuais – https://docoracaoaboca.wordpress.com/2016/08/17/amor-e-liberdade-nos-dias-atuais/.

109. Postagem censurada pelo Facebook – http://antropologiaseimagem.tumblr.com/post/80856105084/postagem-censurada-pelo-facebook-o-fotografo ou aqui.

110. As regras que a esposa de Albert Einstein precisava seguir para ficar com ele – http://super.abril.com.br/blogs/historia-sem-fim/veja-as-regras-que-a-esposa-de-albert-einstein-precisava-seguir-para-ficar-com-ele/ ou aqui.

111. Diferença entre Poliamor e Relação Aberta (R.A.) – http://sha-3p.blogspot.com.br/2014/09/diferenca-entre-poliamor-e-relacao.html.

112. Diferenças entre Poliamor e Relações Livres – delineando alguns conceitos – https://amoreslivres.wordpress.com/2013/07/24/diferencas-entre-poliamor-e-relacoes-livres-delineando-alguns-conceitos/.

113. Como foi transar com uma vítima de estupro – https://trendr.com.br/como-foi-transar-com-uma-vitima-de-estupro-9210eea52090.

114. Prisão monogamia: A monogamia é uma prisão quando não é vista como uma escolha. https://papodehomem.com.br/a-monogamia-e-uma-prisao/.

115. Sobre aquela mesma coisa de sempre disfarçada de amor-livre – https://versoando.wordpress.com/2014/10/01/sobre-aquela-mesma-coisa-de-sempre-disfarcada-de-amor-livre/.

116. Casal a 3 – Videoblog de coaching e orientações sobre diferentes formas de relacionamentos – https://www.youtube.com/channel/UCsq1luBH4mkTO4xBHR3M-GQ.

117. não-monogamia, dependência emocional e autocuidado ou PRECISO ME AMAR ANTES DE AMAR OUTRAS PESSOAS – http://nonsensemushroom.tumblr.com/post/115077394145/n%C3%A3o-monogamia-depend%C3%AAncia-emocional-e-autocuidado.

118. O tabu da monogamia. De Monica Montone – http://www.contioutra.com/o-tabu-da-monogamia/.

119. AS REGRAS DE UM RELACIONAMENTO ABERTO. Por Laura Pires – https://trendr.com.br/as-regras-de-um-relacionamento-aberto-ef86ab303e8b#.hb9t7msqn.
Basicamente: Respeito à individualidade não significa perder o respeito ao próximo. 1. Contar ou não contar. 2. Dormir junto. 3. Exclusividade emocional. 4. Frequência. 5. Ex. 6. Regularidade. 7. Com amigos/as.  8. Quando se está brigado. 9. Na presença da outra pessoa. 10. Comportamento em público. 11. Nudes. 12. E a família?. Autoconhecimento!

120. Amor, Respeito e Liberdade, por Kau Mascarenhas. https://youtu.be/sMz7GdO64RM.

121. Relação a três pode ser mais simples do que a monogamia, Regina Navarro Lins – https://reginanavarro.blogosfera.uol.com.br/2017/05/25/relacao-a-tres-pode-ser-mais-simples-do-que-a-monogamia/.

122. NEM SEMPRE EXISTIU A HETEROSSEXUALIDADE – Como foi criada a heterossexualidade como a conhecemos hoje. http://www.bbc.com/portuguese/vert-fut-40093671.

123. Toda forma de amor – conheça histórias de pessoas que acreditam no amor livre – http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/toda-forma-de-amor-conheca-historias-de-pessoas-que-acreditam-no-amor-livre.ghtml.

124. O fantasma do amor romântico nas relações livres – https://amoreslivres.wordpress.com/2013/12/21/o-fantasma-do-amor-romantico-nas-relacoes-livres/.

125. Três é demais? Mamilos apresenta uma conversa trazendo a perspectiva da biologia, da neurociência, da antropologia e da psicologia pra ampliar nossa compreensão sobre a monogamia como norma – http://www.b9.com.br/75106/podcasts/mamilos/mamilos-112-tres-e-demais/.

126. Mulheres podem ter múltiplos maridos? (em inglês) – https://www.youtube.com/watch?v=SmcwTSoyRF0 ou em https://www.facebook.com/tinytinysecrets/videos/874906262648120/.

.