Category: Educação


Como já dizia o cantor:

“Hiprocrisiiaa… eu tenho uma pra viveer! Pra viveer…”

Ops, acho que não era bem isso.

Mas a paródia à Ideologia, de Cazuza, ainda cabe. Em tempos, em que o dualismo de ideologias talvez só tenha estado tão em voga (e tenho cá minhas dúvidas) na Guerra Fria, pessoas trazem consigo, física e atualmente também virtualmente, discursos ideológicos cada vez mais cheios de sentimentos, outras de conteúdos inclusive. Mas na prática a coisa não é bem assim.

Vale lembrar a regra máxima do respeito, ou da liberdade:

Minha liberdade termina quando começa a liberdade da próxima.

E como tenho me revoltado muito com os discursos vazios e a hipocrisia do dia-a-dia, fiz uma lista de exemplos pra ver quantos nos identificamos. Não que eu seja perfeito. Não que não tenhamos intenção de fazer uma coisa mas consigamos agir exatamente ao contrário de vez em quando. Não que não sejamos ignorantes e diversas vezes nem percebemos a hipocrisia em nosso discurso. Mas temos que ficar ligados e por isso fiz esta lista: pra galera se antenar. Existem hipocrisias de todos os tipos e magnitudes. Vamos lá?

Hipocrisias no trânsito:

  • Reclamar de engarrafamento mas ir de carro pro trabalho.
  • Reclamar do trânsito parado mas estar sozinho dentro do carro.

Hipocrisias ambientais:

Tem nível superior ou está na faculdade, portanto já estudou pelo menos 12 anos da vida e ainda:

  • não sabe apagar a luz ao sair dos ambientes;
  • não sabe guardar bituca de cigarro pra jogar na lixeira;
  • aliás, nem sabe jogar lixo seco nas lixeiras e ainda joga no chão, ainda mais as feitas para recicláveis.

Outras ambientais:

  • Fazer campanha para abaixo-assinado para salvar as baleias, mas jogar plástico nas ruas ou comer carne.
  • Tem dó de cachorro ou animais abandonados ou de maltratos a animais (cães, cavalos, gatos), mas come carne de animais criados confinados.
  • Se preocupa com a preservação dos mares, e/ou tem adesivo no carro “Destrua as ondas, não as praias”, mas come peixes (que foram pegos em pesca industrial e levam à maioria dos bichos aquáticos à extinção).

Hipocrisias Sociais:

Pessoas em situação dominante, ou não oprimidas tomando decisões importantes pelas oprimidas sendo que estas estão presentes.
Bora desenhar, digo, descrever:

  • Homens brancos tomando decisões que afetam mulheres negras;
  • Homens hétero cisgênero tomando decisões para mulheres ou para pessoas não cis (trans, gays, bi);
  • Ricos tomando decisões que afetam aos pobres;
  • Religiosos tomando decisões que influenciam na liberdade de pessoas não religiosas.

Outras sociais:

  • Policiais enfrentando/batendo em civis que se manifestam em luta pelos direitos dos policiais.

LINKS – LEIA TAMBÉM:

Páginas interessantes sobre o assunto, com outras opiniões. Leituras complementares. (Os links a seguir não necessariamente representam a opinião deste autor, alguns inclusive contradizem. Tem, portanto, função de enriquecer a discussão e fazer você desenvolver sua própria opinião.)

1.

 

Nesta madrugada recebi um convite de um amigão, ambientalista mas partidário do governo municipal e federal.

Em seguida respondi ao convite, pois se tratava de um projeto de hortas urbanas para baixa renda, algo de veras interessante visto o prefeito que temos, mesmo eu questionando os meios. Eis que inicia uma conversa que durou uma horinha, e a transcrevo abaixo pois considerei mega didática, explico-me:

Se eu tivesse criando um texto dramatúrgico com esse tema querendo mostrar o estereótipo da visão de um governante versus a visão de um ecoanarquista, não sairia tão bom!

Segue o texto, o nome e a foto do amigo serão ocultados por razões óbvias, pois realmente não vem ao caso.

SEX 2/6/2017 23:48

Amigo
Amigo

 

SEGUNDA-FEIRA (05 de Junho de 2017), às 14:30, acontecerá a Assinatura do Decreto de Criação do Programa Municipal de Agricultura Urbana. A cerimônia também será na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito (Rua Tenente Silveira, 60, 5º andar – Centro).

SÁB 3/6/2017 02:09

Marcelo
Muito legal
Demais mesmo. Obrigado
Amigo
Lembrei de ti
Vais lá
Marcelo
Verei a possibilidade. Tenho interesse sim
Amigo
Legal
Acabei de ter uma decepção Estudando culinária
Marcelo
Hahaha que passou?
Amigo
Descobri que o Califórnia Roll
Foi inventado em Vancouver
Marcelo
Hahahaha
Amigo
Esse mundo 50% das coisas são fake mesmo
Marcelo
E nem existia um original de referência pra chamarem de tipo
É a clássica piada que fazem do chapéu Panamá
Que não é de lá
Amigo
Hahhaa
Mas esse eu achei que era mesmo
Marcelo
Pois é… Coisa estranha. Na Europa valorizam muito a origem, que dá nome ao alimento. Na América querem ganhar em cima do que der dinheiro. Então o direito autoral surgiu com o capitalismo selvagem americano (do norte)… Faz todo sentido. Isso é muito raro na europa
Ao menos calabresa vem da Calábria, champagne da França e por aí vai… Ainda.
Amigo
Japan to honour Vancouver chef credited with inventing California roll
The Japanese-Canadian sushi chef who is said to have invented the California roll will be honored Thursday by the Japanese government for his role in promoting Japanese cuisine.
ctvnews.ca
Marcelo
Hahaha
Mas será que a pizza Califórnia foi inventada lá?
Se sim pode ter sido só homenagem, pelo mais que eu não veja relação
Amigo
Pse
Tava lendo essa semana sobre a baunilha do cerrado
Tu já viu?
Baunilha do Cerrado – Slow Food Brasil
O Slow Food é um movimento internacional que reúne pessoas apaixonadas por gastronomia, celebra o alimento de qualidade e o prazer da alimentação, conheça a atuação do Slow Food no Brasil. Fazem parte dessa rede: cozinheiros, pesquisadores, comunidades de produtores de alimentos etc. É um movimento…
slowfoodbrasil.com
Marcelo
Sim, tô ligado. Não li mas já havia estudado sobre e ouvido a respeito
Tivemos uma palestra nesta semana com uma amiga, colega, que trabalha com o slow food e falou do projeto Arca do gosto
Esse sim é uma puta ótima referência
Amigo
Me.conta mais
Marcelo
Não sei muito, mas é coisa do slow food, pela preservação e valorização dos pratos e tradições locais
Usando alimentos endêmicos
Amigo
Legal
Eu estava estudando temperos e daí descobri a baunilha do cerrado
Marcelo
Seria como criar um projeto pra salvar o berbigão da tapera
Amigo
Dá 300 a 400 kilos por hectare
O kilos está 250 dólares
Marcelo
Mas esse não tem salvação, visto que o aterro da baía que levou ele a extinção
Marcelo
Claro que pra capitalista o valor é o que importa. Já pra naturalista é a valorização da genética endêmica através da cultura local. O ambientalista vai querer valorizar o que é de lá ao preço que for. O capitalista vai levar sementes e tentar produzir igual em outro local mais barato, e assim criar o tipo comercial. De preferência produzindo em grande escala, e fazendo baixar o preço, e levando a comunidade original à pobreza, consequentemente a extinção do recurso que deu nome ao produto. Essa é a diferença entre um naturalista e um capitalista.
Marcelo
É por isso que o slow food luta pela valorização do lado NO local
Amigo
Eu estava pensando em plantar baunilha para aumentar a renda de famílias carentes
Marcelo
Pra famílias carentes tem muitos produtos rentáveis. Se aumentar a produtividade vai cair o preço
Pra famílias carentes ensine a plantar agrofloresta biodiversa onde terão todos os alimentos que precisam pra viver, e não commodities
Onde ficarão independentes do mercado em caso de crise e não reféns dele caso o preço caia.
Amigo
Mas a conta que eu fiz era
1 hectare
Daria uns 230 mil de baunilha
Por baixo
Da de pagar todo o projeto
Contratar uns dois agrônomos uns dois botânicos
E ainda dar uma bolsa de 1500
Para 80 adolescentes
Marcelo
Mas pra produzir isso precisa de uma floresta preservada, um clima igual o de lá, e se der certo vai baixar o preço, e levar as famílias de lá a terem que cair nesse papo e destruírem a floresta pra plantar algo que de dinheiro, assim o ciclo se perpetua
Amigo
Da de plantar no sertão do Peri
Eu acho
Marcelo
Pense localmente, sempre
Valorize o local
Amigo
Tinha um francês que plantava baunilha lá.
Foi embora não sei pra onde
Marcelo
No sertão do peri tem uma cultura local. O que ela tem de diferente. Valorize isso e não traga de fora
Amigo
Da de fazer os dois né
Sempre monto projetos que não. Dependem.do governo
Que são sustentáveis por si
Marcelo
Ainda assim, se pensas na comunidade, no social, não pense no retorno financeiro
Se são sustentáveis não dependem de dinheiro
É contraditório
Amigo
Eu não acho
Tudo.tem.custo
Quanto um botânico vai cobrar
Marcelo
Isso é o que dizem economistas. Eles querem que tenha, senão não terão emprego, rs
Custo sempre tem. Financeiro que não necessariamente
Amigo
Quanto um botânico vai cobrar
Tu consegue 8 instrutores de graça por. 2 anos para um projeto desses ?
Marcelo
Não pense quanto que ele vai cobrar. Pense: se a comunidade local já sabe fazer , pra que vai precisar um botânico? E depois, o que eles precisam pra viver? Esse é o custo. A sustentabilidade está em fazer o local produzir tudo o que precise pra viver
Amigo
6.1. Impactos Econômicos Promoção da autonomia financeira dos beneficiários através da geração de renda: por mais que durante a participação no projeto, os hortelãos ainda dependam de subsídios da Prefeitura com a ajuda financeira, de materiais e sementes, ao atingirem a emancipação, os sujeitos começarão a gerar renda através da venda de sua própria produção. Desta maneira, o projeto visa a transformação de cidadãos que antes eram considerados uma desvantagem econômica ao Governo por dependerem de verbas públicas, em pessoas ativas economicamente, em potenciais consumidores de produtos e serviços, contribuindo para a dinâmica econômica urbana. Há diminuição de gastos com a alimentação, uma vez que os próprios hortelãos consomem os excedentes da produção da horta. Além disso, o projeto oferece empregos dentro da comunidade, não havendo necessidade de grandes deslocamentos (o que é bastante atrativo numa cidade onde os transportes públicos são ineficientes e o trânsito se encontra cada vez mais intenso) e acessíveis aos moradores. Com isso, também há a menor procura dos jovens para entrar no mercado do tráfico de drogas, onde na equipe de Manguinhos há jovens que trabalhavam com esta atividade e buscaram o emprego de hortelão no projeto. Estímulo à economia solidária: desde o início do projeto, os beneficiários são inseridos em uma nova forma de gestão de trabalho e divisão dos lucros de base associativista e igualitária. Os hortelãos realizam a autogestão da horta e o método de trabalho em mutirão. E mesmo durante o desenvolvimento da horta com o aparecimento de problemas e divergências na equipe, os gestores do PHC buscam soluções em conjunto com os hortelãos, utilizando-se dos saberes e experiência dos integrantes e fortalecendo os laços de cooperação.
Marcelo
E não no valor financeiro disso
Amigo
onde o cenário de extrema violência, desigualdade econômica e descaso político influencia na formação de suas opiniões, percepções de mundo e personalidades. Então, princípios como cooperação, altruísmo e igualdade são de mais difícil concepção e desenvolvimento para estas pessoas que convivem em um ambiente hostil, e dentro de uma sociedade que estimula o individualismo e a competição, cujo cenário político é marcado pela corrupção, do que para indivíduos que vivem em um ambiente harmonioso com referências positivas como solidariedade e cooperação.
Marcelo
É isso aí. Mas tudo melhora justamente por melhorar a qualidade de vida e independência.
Marcelo
A diferença é que um projeto de verdade quer a independência e vai fazer isso com toda a comunidade. Um político (queiro) não quer que uma comunidade fique independente dele, senão vai perder votos. Isso pode acontecer em nível micro, por exemplo um líder de comunidade. É por isso que os contatos pra iniciar um projeto desses não podem ser com as lideranças comunitárias, e sim diretamente com o povo. Mas isso dá muito mais trabalho.
Marcelo
Mas a ideia é ótima, é por aí mesmo.
Amigo
Então
Eu calculei 4 profissionais acompanhando a comida do por 2 anos
A comunidade por 2 anos
Até eles tocarem sozinhos
Só de agrônomo e botânico dá uns 15 mil mês
Material uns 20 mil mês
Fora as bolsas
Marcelo
Tudo bem se quer pensar assim, mas se quer a sustentabilidade pense em valorizar um produto e cultura local, e a diversidade do lugar, em vez de importar outra cultura, entende? Vise a autonomia completa
É não apenas financeira
Amigo
Tu já pensou a Alemanha sem batata?
Eu sei Marcelo
Mas.tem que começar
E o melhor jeito é ser viável economimente
Marcelo
É um ponto de vista de alguém que acredita no capital. Normal. Se fosse o certo não haveria fome. As pessoas felizmente não comem dinheiro, e por isso não é sustentável.
Cooperativas deixam de dar certo qdo dão lucro a alguém, não é a toa.
Amigo
Mas tu iria trabalhar lá sem ganhar nada
?
Marcelo
Elas passam a eleger sempre os mesmos e deixam de ter o espírito real de cooperação…
Claro, Não precisa de dinheiro pra viver. Preciso de comida, casa, transporte, diversão… E não dinheiro. Se monetarizar isso, acaba a verdade e passo a viver de ilusão. Se meu trabalho (que não é a mesma coisa que emprego) me der tudo o que preciso não precisarei de dinheiro.
Entende? Inverta a lógica. Isso é sustentável de verdade.
Amigo
Sim Claro
De economia já li quase tudo
Inclusive to vendo a regulação da bitcoin
Em Brasília
Mas falando especificamente desse projeto
Marcelo
Rs
Amigo
Se tiver um jeito de fazer sem dinheiro eu faria
Eu por exemplo não vou ganhar nada
Marcelo
Esse povo que vive do econômico, rs
Já ganhas, como acessor, imagino
Amigo
Agora se tu conseguir voluntários formados comprometidos
Marcelo
Se não vai ganhar nada quer dizer que vai deixar de ser acessor?
Amigo
É assessor
Eu não
Sou funcionário concursado
Marcelo
Cara, se buscar local, se consegue. Mas se deixar entre a liderança local existente, estes vão colocar o amigo, pois querem manter o poder… E não o mais capacitado. Aí o projeto vira um natimorto.
Então, melhor, vc sendo concursado já ganha teu salário. Isso é bom. Mas já estás fazendo isso em hora extra imagino?
Amigo
Como assim?
Marcelo
Entende que o que importa não é o dinheiro?
Rs… A conversa vai longe.
Amigo
Já falei lá em cima que entendi
Eu sei que até novembro
Marcelo
Dá vontade de copiar ela e publicar. Acho que está bem didática.
Amigo
Que implementar um projeto
Marcelo
Acho muito massa isso
Amigo
E tirando eu
Todo mundo quer cobrar
Hahaha
Até esses caras se ônus
Marcelo
Quero só te ajudar a pensar numa forma que teu projeto de certo, percebe?
Amigo
Ongs
Então
São dois anos
Até a população tocar por si
Marcelo
Sim, entendo. Eles estão dentro de um sistema que pensa assim
Amigo
Até la
São dois agrônomos dois botânicos
4 peões auxiliares
Material de trabalho
E para não depender eternamente de verba ou doação
Marcelo
Mas só te digo uma coisa. Não entre com um produto definido. Deixe, de verdade, que a comunidade local decida com o que eles querem trabalhar
Amigo
Tem que ter algo que de retorno
Mas não precisa ser só aquilo
Eles podem plantar mandioca. Maracujá. Temperos
Mas tem que ter algo que de de fazer o projeto se manter por si
Marcelo
Claro.
Marcelo
Mas o se manter não precisa ser financeiramente. Talvez no começo, já que estamos num sistema que ainda não sabe pensar diferente, tem que ser. Mas o objetivo final não pode ser esse, e sim o da independência, da soberania alimentar comunitária sem importar nada de fora. Só assim eu acredito que será viável de verdade no futuro. Pq além disso, o resto é literalmente lucro.
Marcelo – 03:34
Boto fé nas tuas intensões, e espero que o que falo, falamos, ajude em algo. 😉
Altas conversa meu amigo. Mas meu braço tá véio pra teclar tudo isso no celular… Vou dormir. Muito obrigado pela inspiração, bom papo mesmo pra madrugada!

 

 

Pessoas,
se amem antes de qualquer coisa.

Isso é muito importante, mesmo.

O quanto vejo de gente querendo ser amada pelo mundo afora mas não se aceitando do jeito que veio ao mundo.
Antes de mudar a si, se aceite.
Então mude apenas para variar, pois é sempre bom mudar.
Mas até mudar é bom que seja com consciência,
senão podes achar que está mudando e só está indo na onda.
Pra mudar também tem que se conhecer, saber como se é.
Então se aceitar, gostar de si.
Depois disso, mude!
Se colore, se raspe, se pele, se esfole, se tatue, cicatrize-se, transforme-se como quiser.

Então experimente-se!
Antes de pintar ou descolorir o cabelo, de virar loiro ou grisalho (convenhamos, fazer luzes é agrisalhar-se), antes de alisar ou fazer cachos ou dreads, se aceite.
Todo mundo tinha que ficar careca, zero, uma vez na vida. Assim se conhece de verdade.
Todo mundo tinha que raspar tudo,
e também deixar todos os pelos do corpo crescerem ao seu máximo,
uma vez na vida ao menos,
até pra se saber como se é de verdade.

Todo mundo tinha que passar uma semana ou mesmo uns dias sem tomar banho,
pra sentir seus verdadeiros cheiros.
E então fazer uma dieta alimentar e de hábitos superabsurdamentemegahipersaudáveis por um mês,
pra saber como se sente assim, o que isso altera nos teus sentidos.

Todo mundo tinha que morar sozinho,
completamente sozinho,
Sem namorados, sem amigos, sem parceiros, sem faxineira,
pelo menos um ano de sua vida.
Pra se conhecer, pra ter carências, pra fazer bobagem, pra aprender a se virar, pra perceber que se é aquilo que seus pais se queixavam e você negava, pra crescer.

Todo mundo tinha que se masturbar mais,
pois só se tocando, amando e se conhecendo vai saber amar os outros, perceber os outros.
Fazer isso de formas diferentes, sem frescuras, sem pudores, sem medos, mesmo que com cuidados.

Todo mundo tinha que viajar completamente sozinho por pelo menos um mês pra lugares desconhecidos e sem pacote turístico,
pra conhecer seu verdadeiro eu, pra testar sua ética e seu discurso.

Todo mundo tem que escrever um livro, criar um filho e plantar uma árvore, entre tantas outras coisas na vida.
Não deixe a vida passar não…
se não tem tempo, agende-se,
pois senão a vida passa e não aprendeu a se amar.

(marcelo venturi inspirado, antes de voltar pra tese)

[3] Eu particularmente, quando ministro as aulas referentes aos princípios sempre apresento pelo menos duas formas: Partilha Justa – que é o que está descrito nas figuras de David Holmgren e por isso utilizo desta forma – e Compartilhar excedentes, inclusive conhecimentos que é o que mais simpatizo por considerar a forma mais compreensível. A expressão em inglês Fair share, apesar de literalmente significar partilha justa, as vezes me remete a outro uso não tão libertário mas mais capitalista que é o comércio justo ou mercado justo. Mas isso é apenas uma questão de interpretação minha e não seu significado real. E a expressão Retorno do excedente não sei se em português repassa tão bem o que quer dizer este princípio e que não seja dito pelo Compartilhar excedentes, mas por outro lado apresenta uma questão bem mais ambiental que é a questão do deixar o que é da natureza lá, caso não seja usado e assim abre realmente uma nova interpretação e ação pra maioria dos permacultores numa visão bem mais preservacionista que conservacionista. E será que seria esse o nosso papel? Será que precisamos tanto assim? Vale a reflexão. Isto é, mesmo com este texto explicando bem as questões ao redor deste terceiro princípio ético creio que ainda não chegaremos a um consenso.

A permacultura tem três princípios éticos e vários princípios de planejamento, que pelo cocriador da permacultura, David Holmgreen, seriam em 12 que nos ensinam o que deve ser percebido e estimulado ao se planejar um ambiente humano visando sua permanência, durabilidade.

Já os princípios éticos da permacultura seriam:

  1. Cuidar da terra,
  2. Cuidar das pessoas, e
  3. Compartilhar excedentes (inclusive conhecimentos) OU Partilha justa OU Limites ao consumo OU … ??????????????????????????????

Os princípios éticos, em alguns momentos já foram considerados em quantidade de quatro justamente pelas polêmicas relacionadas ao terceiro princípio.

Então aqui traduzo um artigo que trata justamente desse polêmico terceiro princípio ético da permacultura.

 


 

O controverso terceiro princípio ético da permacultura

por Tobias Long (?), tradução de Marcelo Venturi, do artigo original postado em 6 de abril de 2017 pela World Wide Permaculture.

O coração da permacultura é enraizado na adesão na filosofia dos seus três princípios éticos. Os dois primeiros, Cuidar da Terra e Cuidar das Pessoas, têm sido amplamente aceitos pela comunidade pelo que eles são – simples e lógicos. A terceira ética, no entanto, tem sido objeto de algum debate[1] entre os praticantes de permacultura por muitos anos.

De fato, a discussão em curso sobre as várias interpretações desta terceira ética pode oferecer alguma explicação sobre por que a filosofia da permacultura não se tornou um conceito mais popular – apesar de ter sido abraçada por comunidades e profissionais em todo o mundo.

Limites e equidade

Inicialmente, a terceira ética foi introduzida como “Estabelecer Limites à População e ao Consumo“, mas tem sido expressa em uma ampla variedade de maneiras diferentes desde então: “Partilha Justa” (Fair Share), “Limitar o Uso de Recursos e População“, “Compartilhar Excedentes” [inclusive conhecimentos] e “Viver com Limites“. Embora exista, obviamente, uma sobreposição entre essas expressões, a ideia de que a terceira ética é um pouco aberta à interpretação deixa um pouco de interrogação quanto à aplicação desses princípios no design da permacultura.

O significado por trás da terceira ética, de acordo com o Permaculture Designer’s Manual escrito por Bill Mollison, é a teoria de que “ao governar nossas próprias necessidades, podemos definir recursos à parte para focar os princípios anteriores”, referindo-se às duas éticas anteriores da permacultura. No entanto, quando a frase é abreviada apenas para a ideia de “estabelecer limites para a população”, pode levar a mal-entendidos – particularmente por militantes da justiça social, que levantaram preocupações em torno de genocídio e eugenia que poderiam ser falsamente encontrados nesta frase.

Na década de 1980, o pioneiro da permacultura dinamarquesa, Tony Andersen, reformulou a terceira ética como “Partilha Justa” (Fair Share), em um esforço para evitar qualquer discussão sobre esses conhecimentos controversos. Mas enquanto esta frase simples soa agradável quando combinada com as duas outras éticas, deixa para fora uma das idéias principais atrás deste terceiro princípio ético – o conceito de projetar dentro dos limites.

População vs Uso de Recursos

Os ecologistas definem a “capacidade de carga” como o tamanho da população que um ambiente pode sustentar durante um período de tempo, levando em consideração os vários recursos disponíveis nesse ambiente. Quando a quantidade de recursos requerida por uma espécie for igual à quantidade de recursos disponíveis, a capacidade de suporte é atingida. Se a população continuar a aumentar e a quantidade de recursos não, a natureza corrige o desequilíbrio, garantindo que as taxas de mortalidade subam acima das taxas de natalidade – deixando a população de volta abaixo da capacidade de carga.

Este é o desafio apresentado pela terceira ética da permacultura – viver dentro dos limites, para manter nossa população global e o uso de recursos sob a capacidade de carga. À medida que a nossa população aumenta, haverá obviamente menos recursos disponíveis para cada indivíduo. Permacultura tenta usar o design sustentável para determinar um uso médio dos recursos que pode ser mantido por um longo período de tempo, o que é parte da teoria por trás dessa terceira ética controversa.

À medida que uma escassez global de alimentos surge como resultado do impacto negativo da mudança climática sobre as safras, a ideia de capacidade de carga e de viver dentro dos limites torna-se ainda mais necessária. No entanto, o maior problema que enfrenta o nosso planeta não é necessariamente uma crescente população nos países menos desenvolvidos, mas sim o excesso de consumo das populações ocidentais o que mais contribui para o nosso desequilíbrio no uso dos recursos.

Esta terceira ética tenta abordar esta questão, confrontando uma das partes mais feias da natureza humana: a ganância. É esta ganância que nos leva a acumular recursos muito além do que poderíamos usar – mesmo enquanto os outros lutam para prover o suficiente para si ou para suas famílias. Isso não só é errado, como é insustentável no longo prazo.

Permacultura e Socialismo

Parte dessa terceira ética significa entender que a permacultura inclui a ideia de que as necessidades básicas de todos devem ser atendidas – incentivando a justiça não apenas entre os humanos, mas também entre a humanidade e outras espécies. Mas mesmo essa interpretação está sujeita à visão de mundo de um indivíduo. Pessoas com tendências mais socialistas ou comunistas poderiam levar esta ideia a dizer que “se você fizer mais do que você precisa, você deve dar a outros – incluindo aqueles que não fizeram nada para ganhá-lo“.

Embora o altruísmo seja certamente encorajado, a história mostrou que os conceitos governantes do socialismo e do comunismo foram insustentáveis. A iteração desta ética como um dos princípios motrizes da permacultura pode explicar em parte por que a filosofia não tem sido mais amplamente abraçada – ela promove o pensamento de que, para praticar a permacultura da maneira como Mollison e cofundador David Holmgren pretendiam, eles deveriam dar todos os seus pertences e viver em uma comuna com outros permacultores.

Esta ideia foi mesmo levada um passo adiante, teorizando que qualquer um dos excedentes produzidos através do planejamento em permacultura deve ser compartilhado – incluindo o conhecimento. Em vez de aceitar pagamentos por ensinar, consultar ou escrever, essas informações devem ser distribuídas gratuitamente. É uma boa ideia, mas é difícil convencer as pessoas a colocar sua energia e recursos em um projeto onde as recompensas serão compartilhadas com pessoas que não fizeram nada para ganhá-los.

Permacultura não é socialismo[2]. Os praticantes não são obrigados a viver em uma comuna, trabalhando de graça e dando o seu excedente. Permacultura não impede você de ganhar uma vida decente – na verdade, permacultura pode trazer aos praticantes todos os tipos de benefícios, incluindo financeiros. Mas enquanto esta crença [na necessidade dependente do dinheiro] continuar a permear a sociedade dominante, será difícil para os permacultores trazerem esta ciência para as massas.

Andando em frente

Em vez disso, esta terceira ética controversa deve agir como uma luz orientadora para ajudar os indivíduos a examinarem seu uso de recursos com mais cuidado – atentos para reduzir seu consumo e enfrentar o desafio social de compartilhar não só o excedente, mas também o trabalho e a produção. Permacultura é sobre comunidade, sobre resiliência e sobre sustentabilidade.

Mais pessoas estão começando a adotar o conceito de “Retorno do Excedente” como a expressão da terceira ética[3], o que pode estar mais de acordo com o significado original desse princípio. Em vez de criar desperdício, permacultores são incentivados a devolver o excesso de volta para onde ele veio. Isso pode se aplicar em um sentido ambiental através de práticas como cortar e soltar ou permitir que o produto amadurecido para decompor e fertilizar o solo.

Mas o conceito também se aplica a outros aspectos da permacultura, incluindo seu investimento de tempo, trabalho e recursos. Retornos sobre esses investimentos, financeiros ou de outro tipo, podem ser direcionados e colocados de volta em sua prática de permacultura – garantindo sustentabilidade e resiliência.

Quando aplicadas à prática da permacultura, essas éticas devem ser usadas para orientar o tipo de planejamento estratégico que nos ajudará a trabalhar em direção a um futuro onde não nos preocupamos apenas com nós mesmos, mas também com outras populações humanas e não humanas e até com a própria Terra.


Para Saber Mais Sobre:

World Wide Permaculture e Permacultura UFSC

Facebook: https://www.facebook.com/worldwidepermaculture/ e
https://www.facebook.com/groups/Permacultura.UFSC/

Publicação original: http://worldwidepermaculture.com/controversial-third-ethic-permaculture/

Republicada também em: http://permaculturenews.org/2017/04/13/controversial-third-ethic-permaculture/

Notas do tradutor

[também entre colchetes ao longo do texto]:

[1] Assim como é comum ocorrer com todas as polêmicas que envolvem a simplificação das definições das ciências humanas. Os dois primeiros princípios éticos remetem, indiretamente, às questões ambientais e sociais, e este terceiro remeteria à sustentabilidade “econômica” real, e não àquela defendida pelo mercado através do falacioso tripé da sustentabilidade (social, ambiental e econômica), como é bem questionado por Ignacy Sachs, Carlos Walter Porto-Gonçalves e outros autores.

[2] Permacultura sem dúvida não é socialismo nem comunismo, muito menos capitalismo – já que esse se baseia na competição e num crescimento sem fim. Eu acredito que como uma lógica ambiental e social assim proposta, ela seja muito mais próxima de um cooperativismo, ou um terceiro caminho ainda mais equilibrado e que remete ao anarquismo, sempre consciente, talvez com uma certa influência de Kropotkin, com sua “Ajuda mútua”, e outros autores e que seria uma ecologia social aplicada de forma consciente a direcionar a sociedade às relações ecológicas positivas, como é o mutualismo.

[3] Eu particularmente, quando ministro as aulas referentes aos princípios sempre apresento pelo menos duas formas: Partilha Justa – que é o que está descrito nas figuras de David Holmgren e por isso utilizo desta forma – e Compartilhar excedentes, inclusive conhecimentos que é o que mais simpatizo por considerar a forma mais compreensível. A expressão em inglês Fair share, apesar de literalmente significar partilha justa, as vezes me remete a outro uso não tão libertário mas mais capitalista que é o comércio justo ou mercado justo. Mas isso é apenas uma questão de interpretação minha e não seu significado real. E a expressão Retorno do excedente não sei se em português repassa tão bem o que quer dizer este princípio e que não seja dito pelo Compartilhar excedentes, mas por outro lado apresenta uma questão bem mais ambiental que é a questão do deixar o que é da natureza lá, caso não seja usado e assim abre realmente uma nova interpretação e ação pra maioria dos permacultores numa visão bem mais preservacionista que conservacionista. E será que seria esse o nosso papel? Será que precisamos tanto assim? Vale a reflexão. Isto é, mesmo com este texto explicando bem as questões ao redor deste terceiro princípio ético creio que ainda não chegaremos a um consenso.

Gírias novas

A cada ano vemos ou ouvimos uma série de gírias, calão ou palavras, formas de expressar que antes não existiam ou eram usadas de forma distinta. Neologismos.

neologismo

substantivo masculino

LING
  1. 1.
    emprego de palavras novas, derivadas ou formadas de outras já existentes, na mesma língua ou não.
  2. 2.
    atribuição de novos sentidos a palavras já existentes na língua.
  3. 3.
    unidade léxica criada por esses processos.
Origem
⊙ ETIM neologia + -ismo

 

Após certa idade a gente acaba perdendo a referência de desde quando passamos a usar tal forma de expressão. Então neste instante resolvi começar a registar alguns que fui aprendendo ao longo dos últimos anos, resultando, quem sabe, num dicionário de neologismos da língua portuguesa brasileira.

Por questão de ordem, colocarei organizados primeiramente por anos, em seguida por ordem alfabética, seguidos dos possíveis significados.

Quem quiser encontrar por uma expressão específica, clique em procurar em seu navegador (ou Ctrl+F).

Quem quiser contribuir, me escreve que eu coloco aqui.

2016

brusinha – blusinha. Algumas expressões passaram a ser pronunciadas substituindo o L pelo R, acredito que com caráter de rustificação propositalmente, como se fosse falado por alguém que fala errado.

catioro – cachorro, cão, pronunciado como se fosse italianado “caccioro“.

flopar – deixar no vácuo, deixar sem resposta. Uma postagem que ninguém comenta, flopa. Contrário de flodar.

lacrar, lacrou, dar aquele lacre – dar um argumento muito bom ou definitivo, que teoricamente encerra uma discussão.

passar resenha – ficar com alguém, pegar, dar uns beijos e amassos.

 

2015

crush – da palavra igual em inglês, e com mesmo significado de “namoro” ou “paixão súbita”. Neste caso usado muito como referência para alguém que se está ficando e que se conheceu pela internet ou aplicativos de encontro ou apenas alguém que se está interessado, a fim. Crushar/ter um crush – atração por alguém que pode ser tão breve quanto uma troca de olhares ou durar uma vida toda.

flodar – encher de respostas ou não deixar outras pessoas responderem. Quando se publica muitas coisas em seguida uma da outra. (sem certeza do ano)

miga – amiga.

migue – amigo ou amiga, em um uso neutro da linguagem de gênero.

olar – “olá”.

2014

nudes – originalmente esta palavra significa um tom de cores. Nesta época passou a ser usado também como nú, de nudez. Usado para solicitar que as pessoas enviassem ou publicassem fotos nuas, peladas. (dúvida do ano)

tombar – causar, chamar a atenção através de uma ação (trazida por Carol Conka).

2013

estalquear – do inglês stalker, perseguidor. Usado na internet para se referir ao ato de ficar fuçando no perfil de alguém em busca de informações, ou de forma pior e literal, ficar no pé, comentar em todas as postagens de uma pessoa durante muito tempo, etc.

2012

shipar – torcer pela relação de alguém. Do inglês shipping.

selfie, selfismo – ato de se autofotografar. Ato de enaltecer o próprio ego fazendo biquinhos, caras e bocas nas fotos.(sem certeza do ano)

2011

miguxes, miguxos – amigos (sem certeza do ano)

2010

 

2008

_íneo – Sufixo “íneo” substituindo o sufixo “inho” com a intenção de deixar “fofíneo” (fofinho). Ex.: gatíneo (gatinho), cavalíneo (cavalinho), tadíneo (tadinho), etc.

kibar ou quibar – roubar ideias sem citar a fonte.

1999

fora da casinha – pessoa sem noção, que faz comentários sem sentido (sem certeza no ano).

1996

migué – “dar um migué”, enrolar, enganar, dizer que vai fazer algo e não fazer.

Links relacionados:

  1. Onde comentar e fazer sugestões de novos neologismos (sempre citando a explicação e o ano em que surgiu):

https://www.facebook.com/marceloventuri/posts/10154469136837732?comment_id=10154469181037732&notif_t=feed_comment&notif_id=1483540252190374

e em

https://www.facebook.com/marceloventuri/activity/10154469126572732?comment_id=10154469537702732&ref=notif&notif_t=open_graph_action_comment&notif_id=1483552158720191

2. Deixando o X e a @ pra trás na linguagem neutra de gênero – http://partidopirata.org/deixando-o-x-para-tras-na-linguagem-neutra-de-genero-por-juno/.

3. Grupo de gírias idosas, no facebook – https://www.facebook.com/giriasidosas/.

4.

TRANSFORME PROBLEMAS EM OPORTUNIDADES.

Esse é um dos princípios da permacultura, do Bill Mollison no seu Designer’s manual.

Baseado nisso, e numa aula do Arno, passei a buscar informações sobre uma praga que invade muito minha casa e a de minha família: CARACOL-AFRICANO, ou caramujo-africano – Achatina fulica.

Descobri que o bicho é uma lenda urbana atual e é um ótimo alimento. Então por que não pegar esse animal que virou uma praga e usar para alimentar meus bichos (já que eu não como carne e animais) e economizar um tantinho em ração?
Fica a dica. #fkdk

E quem quiser comer também: o link abaixo dele ensina os cuidados a serem tomados para você ou para seus animais desde a captura, abate e preparo.

ALTERNATIVA NA FORMA DE ABATE:

Uma mudança para esse roteiro que eu proponho, seria na forma de abate. Acredito que é muito menos cruel para abater animais de sangue frio, é o uso de congelador. Depois de todo o processo de “quarentena” quando o animal é limpo, a forma de abate ideal ao meu ver, coloque os animais na geladeira ou numa bacia com água e gelo, isso irá diminuir o seu metabolismo de forma que eles “adormecem” e deixam de sentir. Em seguida coloque num congelador onde morrerão congelados, por umas 48 horas antes de iniciar os processos de calor. Imagine como é para um animal de sangue frio morrer no calor, quando seu metabolismo está super ativado. Por isso minha proposta de alteração.

HISTÓRIA E MOTIVOS:

O caramujo-africano é comestível e foi introduzido no Brasil para ser consumido feito escargot mas como aqui não tinha mercado para este produto ele foi descartado sem controle na natureza e virou praga. Ele, naturalmente, não transmite doenças a não ser que elas estejam no ambiente por onde ele passa e depois você entre em contato com ele, portanto ele é um vetor. Assim como cães e gatos também são vetores de doenças e nem por isso saímos matando eles. Ele se propaga muito facilmente, se tornando praga e causando desequilíbrio ecológico, este é o seu principal problema. Além disso ele é confundido com espécies nativas que estão sendo dizimadas por competição de nicho e pela caça ignorante que deveria ser exclusiva desta espécie. O mesmo poderia ser feito com outras espécies exóticas que causam desequilíbrio, como saguis no sul do Brasil e tantos outros.

RISCOS E CUIDADOS:

As doenças transmitidas por eles são principalmente: meningite, esquistossomose e angiostrongilose. A meningite que é transmissível pelo muco, e acontece apenas se houver algum animal (incluindo humano) com a doença por perto. A esquistossomose só ocorre em locais com problemas de higiene e saneamento e se houver o parasita Schistosoma no meio. E as diferentes angiostrongiloses podem ocorrer apenas por ingestão do animal sem os devidos cuidados.

Portanto PARA EVITAR QUALQUER RISCO durante a captura e os manejos até o momento do preparo é essencial o uso de luva ou sacolas plásticas envolvendo as mãos. Mas após a quarentena e o cozimento em altas temperaturas pelo tempo recomendado no vídeo acima NÃO HÁ MAIS RISCOS de contaminação, e pode ser consumido.
RESUMIDAMENTE:
  1. captura e manejos com cuidados (luvas ou sacolas protegendo as mãos) e lavagem prévia com água corrente e sabão.
  2. “quarentena” de 7 dias sem comida, trocando a água e sendo lavados diariamente com escovinha, água e sabão.
  3. abate através de congelador por pelo menos dois dias – 48h.
  4. pré-cozimento com casca até ferver e subir uma gosma. Trocar a água e repetir.
  5. retirar das cascas com ajuda de um garfo, enquanto ainda estiverem quentes.
  6. cozinhar em panela de pressão por pelo menos 20 minutos (após o início da pressão).
  7. refogar com azeite e temperos a sua vontade. Para consumo de animais carnívoros pode ser apenas refogado em óleo, sem uso de alho e cebola. Também pode ser picado e moído. Sabor lembra de moluscos outros como ostras.

FONTES – LINKS E MATERIAIS COMPLEMENTARES

Abaixo seguem alguns materiais ratificando o que falo acima, muito importante e interessante que vejam todos, vale a pena:

Do jeito que ela se veste aposto que é lésbica

Meu namorado é tão delicado comigo que estou desconfiando que ele é gay

O objetivo deste texto é desconstruir e reconstruir alguns preconceitos relacionados à sexualidade, aos gêneros e outras relações,

ou ao menos tentar nos fazer refletir e mostrar que temos preconceitos, e eles podem ser muito prejudiciais para nossas relações, e então ao menos tentarmos percebê-los e controlá-los para que eles não nos controlem.

“só considerarei a sociedade madura quando pararmos de diferenciar as pessoas por gênero, cor, tamanho, sexualidade, aparência, condição corporal, roupa, renda, profissão, formação, nome ou qualquer coisa do tipo. Quando seu filho disser que está a fim de alguém e você ficar feliz por ele, seja quem ou como for a outra pessoa… E isso for espontâneo e natural pra todo mundo. É tão difícil assim?”

Este artigo trata basicamente de respeito. Faremos essa reflexão sobre preconceitos, mostrando alguns conceitos básicos (os principais atualmente) para que paremos de confundir as coisas quando tratarmos desses conceitos. Alguns desses conceitos básicos podem possuir escalas que vão de um extremo a outro, inclusive com classificações intermediárias diferentes, mas aqui publicamos o básico.

Sexo biológico:

Mulher e Homem

É a genética que define em nossa formação ainda dentro do útero de nossas mães: se nasceremos com pinto ou com vagina no meio das pernas. Também conhecido como sexo de nascença, já que pode ser alterado posteriormente através de cirurgias.

Gênero

Feminino e Masculino

Refere-se à identidade adotada ou atribuída a uma pessoa de acordo com seus genitais, sua psicologia ou seu papel na sociedade. É portanto como o indivíduo se apresenta para a sociedade, como ele se sente e expressa ser frente ao meio que frequenta.

Transgênero seriam as formas de gênero escolhida ou vivenciada pela pessoa que é diferente de seu sexo biológico. Essa mudança pode ser temporária como nos casos de CrossDressers ou CDs  – pessoas que se vestem como sexo diferente, comumente em segredo ou para os íntimos mas podendo ser público como o caso do famoso cartunista Laerte. Ou temporária como Travestis, que assumem seu novo gênero no dia-a-dia, podem tomar hormônios para ficarem mais parecidos em seu corpo, mas sem intervenção cirúrgica. Ou podem ser mudança definitiva, como nos casos de transsexuais que fizeram cirurgia de mudança de sexo.

Orientação sexual: 

AssexualHeterossexualBissexualHomossexual

Trata da forma pela qual o indivíduo sente atração frente à afetividade e sexualidade. Respectivamente: Se não sente atração por outras pessoas (Assexual), Sente atração por pessoas do sexo/ou/gênero oposto ao seu (Hetero), Sente atração por pessoas de ambos os sexos/ou/gêneros (Bi, também chamado de pansexual) e, Sente atração exclusivamente por pessoas do mesmo sexo/gênero (Homo) que o seu.

Destas quatro classificações básicas, segundo alguns estudiosos, podem ser aprofundadas em diversas outras. Como por exemplo, dentre os que não se encaixam em orientações padrões surgem os Queer – que não se consideram héteros mas não necessariamente se identificam com as outras e sim apenas como alguem que está a margem da sociedade. Dentre os Assexuados (ver também 68) também podem haver várias ramificacões internas onde podem se identificar. Ou dentro de todas elas há as pessoas que só se sentem atraídas por determinados perfis, como apenas por pessoas que considerem inteligentes (sapiosexual), ou apenas por pessoas com determinado padrão de beleza, etc. Há também os que não tem distinção, acreditam apenas que basta rolar uma química, seja com quem for. Este exemplo é chamado de Pansexual.

genero

Posicionamento:

PassivoFlexívelAtivo

Refere-se ao receber a ação ou agir no momento do ato sexual ou também em outros momentos. Quem apenas recebe é passivo, quem apenas age é ativo. Também pode-se referir ao ato de penetrar (ativo) ou ser penetrado (passivo). Quem varia ou aceita variar de posição é flexível. Os termos também valem para tratar da iniciativa em “abordar” ou “chegar no outro”, ou em tomar iniciativa em relação às coisas da vida, sendo que o que toma iniciativa é visto como ativo, e o que espera chegarem em si ou espera os outros tomarem iniciativas é passivo. É comum as atitudes frente à forma de abordar refletirem a posição na cama, mas isso não é regra.

Atitudes (no namoro):

SensívelCarinhosoForte ou com PegadaAgressivoViolento

Tratam da forma de carinhos trocadas nos momentos de intimidades.

Provimento de recursos:

DependenteSustentadoIndependenteAutônomoProvedor

Tratam de quem sustenta financeiramente ou com recursos e muitas vezes também se referem em relação quem define às decisões finais a quem. Respectivamente: Dependente é 100% sustentado ou decidido pelo outro. Sustentado é bancado pelo outro mas tem também suas atividades independentes, só que não geram recursos suficientes. Independente é quando todos os envolvidos tem seus próprios recursos e se viram por conta, auxiliando aos demais quando convir. Autônomo é aquele que tem seu recurso e não depende dos outros, mas outros podem depender dele. Provedor é o que provem 100% das necessidades (e as vezes decisões) aos demais.

Outros:

Além dos anteriores, muitos outros perfis e características podem nos levar ao preconceitos. De uma infinidade destaco alguns comuns hoje. reparem como alguns são incrivelmente absurdos, mas existem:

Cor da pele. Etnia. Origem ou Procedência. Nome da Família. Nível de educação. Trabalho ou Profissão. Classe social aparente. Status ou Marcas de produtos (roupas, veículos, utensílios, etc.). Idade. Tipo físico. Penteado ou Tipo de cabelo. Estilo e/ou Gostos. Hábitos. Tipos de Relacionamentos. Número de parceiros ou grau de Promiscuidade. Opções políticas. Etc.

Portanto, a partir dos conceitos e possibilidades acima podemos definir alguns conceitos e paradigmas e outras possibilidades de quebra destes:

ESTEREÓTIPO

Clássico machista patriarcal, quadrado, conservador, judaico-cristão que ainda é maioria numa sociedade repressora como a atual:

Homens devem ser sempre Masculinos, Heterossexuais, Ativos e com Pegada forte. Sempre Provedores (o que sustenta a casa). Fora de casa deve aparentar o garanhão para os demais, fiel para as mulheres e insaciável para demais homens. Quando jovens os meninos são mais viris o quanto antes perderem a virgindade. Mulheres devem ser sempre Femininas, Heterossexuais (podendo ser bissexuais se for agrado DELES), Passivas, Sensíveis e serem Dependentes do seu marido. Devem aparentar a pura e virginal para os demais e ser sempre fiel, casta e submissa ao marido, vindo a perder a virgindade só após o casamento.

Machismo é uma forma ignorante de preconceito, adotada tanto por homens quanto por mulheres. Pesquise sobre CISgêneros.

POSSIBILIDADES

Retornando às provocações do começo deste texto:

1. Por que não aceitamos uma mulher que se veste como homem? Ou ainda que se comporte como homem, e que goste de mulheres? Ah mas isso é comum. Só que se ela for masculina e realmente gostar de homem? qual o problema disso? “Ah, mas isso não existe” dirão alguns preconceituosos. Então se ela não se depila ela é masculina? Mas homem que se depila, mesmo que por higiene, é gay então? Se você pensa assim tenho pena do seu minúsculo cérebro machista.

2. E o garoto, por que ele não pode ser sensível, ser delicado com sua namorada? Por que ele não pode gostar exclusivamente de mulher, mas sentir prazer em ser penetrado por ela? Isso não o torna homossexual. Pensemos na história sob outro ponto de vista: muitas mulheres consideram homem bom de cama aquele que excelente nas preliminares e que sabe explorar seu corpo inteiro com as mãos e boca. Mas se o rapaz é muito carinhoso é gay? Ou quando se trata delas fazerem isso nos homens não fazem carinhos em certos lugares (bumbum, cu) por que tem medo que eles gostem? Desculpe moça, mas você é machista. E se o cara adora carinho e lambida em todo o corpo, menos nessas partes traseiras, desculpe moço, você é machista e burro! Se ambos deixassem esses pudores de lado poderiam desfrutar imenso prazer. Se for bom, qual o problema né? Se o rapaz não sabe ser carinhoso ou alternar entre pegadas com vontade e carinhos gentis, ele pode ser machista também, mas você pode tentar amaciá-lo.

Poderíamos fazer todas as misturas possíveis dentro desses perfis escolhendo aleatoriamente um de cada. Sairiam perfis que não estamos acostumados, muitos que acharíamos bizarros. Mas te garanto uma coisa, para qualquer perfil que fizermos existirão várias pessoas que se encaixam nessa descrição, e devemos respeitá-las da mesma maneira como se fosse nosso melhor amigo. Todos merecem respeito e compreensão. Pelo fim do julgamento devido ao estereótipo!

Em exemplo de estereótipo oposto ao padrão imposto como perfeito pela nossa cultura atual seria:

Homem, feminino, bissexual, passivo, negro com cabelo pixaim de origem nordestina morando em São Paulo. Sensível, gay assumido mas discreto, casado com um homem masculino liberal por quem é sustentado e, apesar de terem um relacionamento aberto e dela ter atrações bissexuais, não busca relações fora do seu namoro, sem vida promíscua. Bonito e em forma, só teve dois parceiros até hoje, a namorada anterior com quem perdeu a virgindade e o atual. Tem 35 anos e o namorado 25. Tem surdez. Classe média-baixa, mas vivendo bem nos Jardins, numa casa própria recém comprada. Ela vota sempre na direita e seu namorado sempre na esquerda.

Lembrando:

As pessoas deveriam se dar mais liberdade para sentir seu corpo e para se vestirem como se sentirem bem. Deixar os tabus de lado e entender que não existe diferença entre tocar no braço ou na cintura, e na boca ou na bunda ou no órgão sexual de alguém. Se sente prazer e se isso é bom para a pessoa e seus parceiros, é o que importa. Essa imposição de padrões deve ser ignorada e combatida. Aceitem as pessoas como elas são. Não julguem. Experimentem sem medos. antes de sermos homens ou mulheres, somos humanos. Somos né?


MANIFESTO HOMENS LIBERTEM-SE!

(by Puig Nico citando The Living Theatre: http://www.homenslibertemse.com/portal/116-2/.)

– Quero o fim da obrigatoriedade ao Serviço Militar.
– Posso broxar. O tamanho do meu pau também não importa.
– Posso falir. Quero ser amado por quem eu sou e não pelo que eu tenho.
– Posso ser frágil, sentir medo, pedir socorro, chorar e gritar quando a situação for difícil.
– Posso me cuidar, fazer o que eu quiser com a minha aparência e minha postura, cuidar da minha saúde, do meu bem estar e fazer exame de próstata.
– Posso ser sensível e expressar minha sensibilidade como quiser.
– Posso ser cabeleireiro, decorador, artista, ator, bailarino; posso me maravilhar diante da beleza de uma flor ou do voo dos pássaros.
– Posso recusar me embebedar e me drogar.
– Posso recusar brigar, ser violento, fazer parte de gangues ou de qualquer grupo segregador.
– Posso não gostar de futebol ou de qualquer outro esporte.
– Posso manifestar carinho e dizer que amo meu amigo. Quero viver em uma sociedade em que homens se amem sem que isso seja um tabu.
– Posso ser levado a sério sem ter que usar uma gravata; posso usar saia se eu me sentir mais confortável.
– Posso trocar fraldas, dar a mamadeira e ficar em casa cuidando das crianças.
– Posso deixar meu filho se vestir e se expressar ludicamente como quiser e farei tudo para incentivá-lo a demonstrar seus sentimentos, permitindo que ele chore quando sentir vontade.
– Posso tratar minha filha com o mesmo grau de respeito, liberdade e incentivo com que apoio meu filho.
– Posso admirar uma mulher que eu ache bela com respeito, sem gritaria na rua e me aproximar dela com gentileza, sem forçá-la a nada.
– Eu sei que uma mulher está de saia – ou qualquer outra roupa – porque ela quer e não porque está me convidando para nada.
– Eu sei que uma mulher que transa com quem quiser ou transa no primeiro encontro não é uma vadia, bem como o homem que o faz não é um garanhão; são só pessoas que sentiram desejo.
– Eu nunca comi uma mulher; todas as vezes nós nos comemos.
– Eu não tenho medo de que tanto homens como mulheres tenham poder e ajo de modo que nenhum poder anule o outro.
– Eu sei que o feminismo é uma luta pela igualdade entre todos os indivíduos.
– Eu nunca vou bater numa mulher, não aceito que nenhuma mulher me bata e me posiciono para que nenhum homem ou mulher ache que tem o direito de fazer isso.
– Eu vou me libertar, não para oprimir mais as mulheres, mas para que todos possamos ser livres juntos.
– Eu fui ensinado pela sociedade a ser machista e preciso de ajuda para enxergar caso eu esteja oprimindo alguém com as minhas atitudes.
– Eu não quero mais ouvir a frase “seja homem!”, como se houvesse um modelo fechado de homem a ser seguido. Não sou um rótulo qualquer.
– Quero poder ser eu mesmo, masculino, feminino, louco, são, frágil, forte, tudo e nada disso. E me amarem e aceitarem, não por quem acham que eu deva ser, mas por quem eu sou. E por tudo isso, não sou mais ou menos homem.
– Quero ser mais que um homem, quero ser humano!
– O machismo também me oprime e quero ser um homem livre!

FontePublicação Facebook by Puig Nico em 30 de maio de 2014  citando The Living Theatre: http://www.homenslibertemse.com/portal/116-2/.


LINKS – LEIA TAMBÉM:

Páginas interessantes sobre o assunto, com outras opiniões. Leituras complementares. (Os links a seguir não necessariamente representam a opinião deste autor, alguns inclusive contradizem. Tem, portanto, função de enriquecer a discussão e fazer você desenvolver sua própria opinião.)

1. Entenda identidade de gênero e Orientação sexual – http://www.plc122.com.br/orientacao-e-identidade-de-genero/entenda-diferenca-entre-identidade-orientacao/ ou aqui.

2. Por que a bicuriosidade masculina causa tanto alarde? – http://papodehomem.com.br/por-que-a-bicuriosidade-masculina-causa-tanto-alarde/ ou aqui.

3. Para pensar em sexo e dar tesão nas mulheres – http://www.parapensaremsexo.com/.

4. As regras que a esposa de Albert Einstein precisava seguir para ficar com ele – http://super.abril.com.br/blogs/historia-sem-fim/veja-as-regras-que-a-esposa-de-albert-einstein-precisava-seguir-para-ficar-com-ele/ ou aqui.

5. Homens contam o que ouviram quando foram abusados sexualmente – http://www.brasiliaempauta.com.br/artigo/ver/id/2746/nome/Homens_contam_o_que_ouviram_quando_foram_abusados_sexualmente.

6. ‘Repovoando’ o mundo de homens gentis, educados e sensíveis – http://lorenaperdigao.blogspot.com.br/2013/08/repovoando-o-mundo-de-homens-gentis.html ou aqui.

7. Trocando de lugar, os estereótipos de gênero – http://www.revistaforum.com.br/blog/2013/07/trocando-de-lugar/.

8. Nudez e vergonha do corpo – http://arthurlacerda.wordpress.com/2014/01/25/nudez-e-vergonha-do-corpo/ ou aqui.

9. Projeto Homens Libertem-se, mais links – http://www.homenslibertemse.com/portal/links-sugeridos/ ou aqui.

10. 10 coisas a saber sobre sexo pós-divórcio – http://www.brasilpost.com.br/2014/06/29/sexo-divorcio_n_5538549.html.

11. Outros estereótipos que sofrem: a cada 3 homicídios, 2 são contra negros – http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/10/17/ipea-a-cada-3-homicidios-2-sao-contra-negros/ ou aqui.

12. Outros estereótipos que sofrem: Anistia Internacional: repressão afeta mais jovens negros no Brasil – http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2013/05/22/interna_brasil,367477/anistia-internacional-repressao-afeta-mais-jovens-negros-no-brasil.shtml ou aqui.

13. Outros estereótipos que sofrem: Negros são mais abordados e agredidos – http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff060402.htm ou aqui.

14. Experimento com crianças revela que racismo ainda é forte devido a nossa educação informal (e inconsciente) deturpada – http://youtu.be/Sq4z2Vq2K1w.

15. Mais video mostrando experimento com crianças sobre preconceito e racismo intrínseco devido a cor da pele – http://www.youtube.com/watch?v=DDO3RrxmCeQ&list=LLXGPuMfiiX4zouyJsScTGng&feature=share&index=23.

16. Mais teste psicológico de racismo com crianças – http://www.youtube.com/watch?v=29kzSogJESU&list=LLXGPuMfiiX4zouyJsScTGng&feature=share&index=24.

17. CNN – Teste das bonecas e as relações raciais – http://youtu.be/CkcpROCiolA.

18. Cientista negro famoso dá uma resposta Sensacional a pergunta Por que não existem mulheres nas ciências exatas – http://www.socialfly.com.br/videos/208-este-cientista-negro-famoso-da-uma-resposta-sensacional-a-uma-pergunta-um-tanto-presuncosa ou apenas o vídeo original – http://youtu.be/KEeBPSvcNZQ.

19. Moça, você é machista (facebook) – https://www.facebook.com/mocavceemachista.

20. Sou homem: Entrei Em 10 Lojas e Provei 20 Looks Femininos – http://eaiconteudo.com.br/blog/entrei-em-10-lojas-e-provei-20-looks-femininos/.

21. Gosto não se discute: Fio dental para homens – https://estilo.catracalivre.com.br/2014/06/lancada-na-reino-unido-sunga-estilo-fio-dental-para-homens/.

22. Machismo: e se fosse um pedreiro fazendo isso? – http://www.revistaforum.com.br/blog/2014/06/machismo-e-se-fosse-um-pedreiro/.

23. Gênero e Marketing. Video no facebook – https://www.facebook.com/photo.php?v=309830302512830.

24. Mulheres protagonistas sem final romântico mas com amor começam a surgir nos filmes Disney – http://www.revistaforum.com.br/questaodegenero/2014/06/03/malevola-frozen-e-valente-o-amor-entre-mulheres-comeca-despontar/.

25. Em defesa da liberdade de mostrar o peito: Biquini com estampa de mamilo – https://estilo.catracalivre.com.br/2014/06/mulheres-criam-biquini-com-estampa-de-mamilos-como-forma-de-protesto/.

26. Cartilha japonesa de orientação sexual em escolas –  http://www.revistaforum.com.br/blog/2014/06/em-cidade-japao-criancas-e-adolescentes-recebem-cartilha-sobre-diversidade-sexual/.

27. Mesma foto de mulher é photoshopada em diferentes países para se comparar padrões de beleza – http://www.hypeness.com.br/2014/06/mulher-e-photoshopada-em-paises-diferentes-para-comparar-padroes-de-beleza/.

28. Sexualidade feminina e muitos links bons – http://www.brasilpost.com.br/2014/06/28/sexo-fotos-exposicao_n_5539035.html.

29. Peça é cancelada após protagonista brigar com espectador que gritava insultos homofóbicos – http://oglobo.globo.com/cultura/teatro/peca-cancelada-apos-protagonista-brigar-com-espectador-que-gritava-insultos-homofobicos-12715241#ixzz33mBunD6Z ou aqui.

30. A incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem NÃO quer – http://www.geledes.org.br/incrivel-geracao-de-mulheres-que-foi-criada-para-ser-tudo-o-que-um-homem-nao-quer/ ou aqui http://blogs.estadao.com.br/ruth-manus/a-incrivel-geracao-de-mulheres-que-foi-criada-para-ser-tudo-o-que-um-homem-nao-quer/.

31. A fabulosa geração de gays que nasceu para ser tudo que ninguém quer – http://www.revistaforum.com.br/blog/2014/07/fabulosa-geracao-de-gays-que-nasceu-para-ser-tudo-que-ninguem-quer/.

32. Nos anos 50, homens frequentavam casa secreta para agir e vestir como mulheres –  https://catracalivre.com.br/geral/design-urbanidade/indicacao/nos-anos-50-homens-frequentavam-em-casa-secreta-para-agir-e-vestir-como-mulheres/. Mias sobre Casa Susanna aqui e aquihttps://www.flickr.com/photos/marikita_tv/2617545035/in/photostream/ e http://lightbox.time.com/2014/04/14/casa-susanna/#1.

33. Imagens e mais textos do “Pelo direito de broxar, falir e ser sensível, campanha pede que homens libertem-se do machismo”  – https://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/pelo-direito-de-broxar-falir-e-ser-sensivel-campanha-pede-que-homens-libertem-se-do-machismo/.

34. Fotógrafo francês registrou mais de 400 bailes e mostra o funk como você nunca viu; leia entrevista – https://catracalivre.com.br/geral/design-urbanidade/indicacao/fotografo-frances-registrou-mais-de-400-bailes-e-mostra-o-funk-como-voce-nunca-viu-leia-entrevista/.

35. Vídeo: Hetero Passivo? Como assim?! – http://www.youtube.com/watch?v=MgST3Z8iC-o.

36. 10 experiências sexuais que todos deveriam ter uma vez na vida – http://www.obaoba.com.br/pegacao/noticia/10-experiencias-sexuais-que-todos-deveriam-ter-uma-vez-na-vida.

37. Com 37 opções de sexualidade, Tinder tem 250 mil novos encontros em 6 meses. Transexuais aumentaram procura pelo app, que reage a concorrência de sites LGBT – http://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/com-37-opcoes-de-sexualidade-tinder-tem-250-mil-novos-encontros-em-6-meses-1-21056701.

38. Formada em Letras, Lola Benvenutti vai além da web e lança livro para falar de sua vida como garota de programa – https://catracalivre.com.br/geral/urbanidade/indicacao/formada-em-letras-lola-benvenutti-vai-alem-da-web-e-lanca-falar-de-sua-vida-como-garota-de-programa/.

39. Por que mamilos femininos tem que ser censurados da net e os masculinos não? (site em inglês) – http://racked.com/archives/2014/07/10/cara-delevingne-devises-simple-freethenipple-explainer.php.

40. Documentário mostra dia-a-dia de adeptos do poliamor – https://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/documentario-mostra-dia-a-dia-de-adeptos-do-poliamor/ – e o vídeo em – http://vimeo.com/23988620 ou https://www.youtube.com/watch?v=H3SbBZNotuc.. Veja Também: Três documentários que falam sobre poliamor e suas infinitas maneiras de dizer ‘eu te amo’ – https://catracalivre.com.br/geral/invencoes-ideias/indicacao/tres-documentarios-que-falam-sobre-amor-e-suas-infinitas-maneiras-de-dizer-eu-te-amo/.

41. Você acha que homens podem algo e mulheres não? Ou que homens/mulheres TEM que ser assim? Antes de criticar o feminismo, entenda: Feminismo para leigos – http://www.cartacapital.com.br/blogs/feminismo-pra-que/feminismo-para-leigos-3523.html.

42.‘Não vim aqui para assistir a filme gay’: reações conservadoras a cenas do filme ‘Praia do Futuro’- http://oglobo.globo.com/sociedade/nao-vim-aqui-para-assistir-filme-gay-reacoes-conservadoras-cenas-de-praia-do-futuro-12561831

43. Entrevista com o Clitóris – http://desenhares.wordpress.com/2014/02/08/entrevista-com-o-clitoris-guardo-ainda-muitos-segredos/.

44. Video: Clitóris, Prazer proibido – https://www.youtube.com/watch?v=AAOgnyiKiqU.

45. Quando um encontro vira uma agressão (em espanhol) –  http://www.pikaramagazine.com/2012/11/%E2%80%9Cyo-queria-sexo-pero-no-asi%E2%80%9D-lo-que-iba-a-ser-un-encuentro-deseado-se-convierte-en-una-agresion-sexual-esa-situacion-es-mas-frecuente-que-el-estereotipo-de-violacion-por-parte-de/.

46. Se eu pedir para ser penetrado, a mulher vai me achar gay ou estranhar? – http://www.pergunteaumamulher.com/2014/09/se-eu-pedir-para-ser-penetrado-a-mulher-vai-me-achar-gay-ou-estranhar.html.

47. Puta, Piranha, Vagaba não é Xingamento – http://www1.folha.uol.com.br/colunas/gregorioduvivier/2014/01/1393513-xingamento.shtml.

48. Monogamia pra quem? Blogueiras Negras – http://blogueirasnegras.org/2014/09/04/monogamia-pra-quem/.

49. Drauzio Varella diz que homofobia “é ignorância” e manda recado para pastores – http://www.meionorte.com/noticias/drauzio-varella-diz-que-homofobia-e-ignorancia-e-manda-recado-para-pastores-258959 e https://www.youtube.com/watch?v=rqi-UTb9f9Y.

50. A diferença entre amor e desejo, segundo seu cérebro – http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Neurociencia/noticia/2014/07/diferenca-entre-amor-e-desejo-segundo-seu-cerebro.html.

51. O padrão estético “sem pelos” e a ditadura da depilação – https://catracalivre.com.br/geral/design-urbanidade/indicacao/coletivo-de-artistas-questiona-o-padrao-estetico-sem-pelos-e-a-ditadura-da-depilacao/.

52. Existe amor e sexo na Velhice – https://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/serie-fotografica-mostra-que-existe-amor-e-sexo-na-velhice/.

53. Marcelo Tas fala da relação com filho transexual – http://www.correiodoestado.com.br/variedades/-marcelo-tas-fala-da-relacao-com-filho-transexual/228396/ .

54. Vídeo mostra cantadas que mulher recebe nas ruas – http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/10/141028_video_cantadas_rb .

55. Suicídio assistido: após último desejo jovem adia a própria morte – http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/10/141030_jovem_morte_ultimo_mdb .

56. Pesquisa revela as fantasias sexuais mais comuns entre homens e mulheres – http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/pesquisa-revela-as-fantasias-sexuais-mais-comuns-entre-homens-e-mulheres.

57. Fotos em P&B e Sépia mostram as drag queens do século XIX – https://estilo.catracalivre.com.br/modelos/fotos-em-pb-e-sepia-mostram-as-drag-queens-do-seculo-xix/.

58. Chega de fiu fiu, quer o fim do assédio – http://www.oserrano.com.br/view.asp?tipo=Local&id=35511.

59. Além do “masculino” e “feminino”: Facebook já permite personalizar gênero no Brasil – http://info.abril.com.br/noticias/internet/2015/03/alem-do-masculino-e-feminino-facebook-ja-permite-personalizar-genero-no-brasil.shtml.

60. Mais que questão de respeito: Ilustrações mostram como comentários maldosos afetam a vida das pessoas. http://www.hypeness.com.br/2014/07/como-podem-ser-danosas-algumas-coisas-que-falamos/.

61. Deixa alguém gostar de você, caralho!!! – http://umtravesseiroparadois.com.br/deixa-alguem-gostar-de-voce-caralho/.

62. Guia Gay: 10 passos para pegar um cara “heterosexual” – http://sossolteiros.bol.uol.com.br/guia-gay-10-passos-para-pegar-um-cara-heterosexual/.

63. Dicas sexuais? Guia Vice para diversas coisas: Chupar xoxota, Fazer boquete, Para lésbicas chuparem xoxota, etc. – http://www.vice.com/pt_br/read/guia-vice-para-chupar-xoxota e http://www.vice.com/pt_br/read/guia-vice-para-fazer-um-boquete e http://www.vice.com/pt_br/read/guia-lesbico-para-chupar-xoxota. Nas próprias páginas tem links para outras interessantes.

64. Ótimo artigo: Biologia e Psicologia: A verdadeira origem da homossexualidadehttp://climatologiageografica.com/atualizado-biologia-e-psicologia-a-verdadeira-origem-da-homossexualidade/.

65. Cavalheirismo é machismo – http://www.papodehomem.com.br/cavalheirismo/.

66. A incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem não quer – http://www.sabiaspalavras.com/a-incrivel-geracao-de-mulheres-que-foi-criada-para-ser-tudo-o-que-um-homem-nao-quer-2/.

67. Sexo anal: 5 motivos para perder a vergonha e tentar – http://sossolteiros.bol.uol.com.br/sexo-anal-5-motivos-para-perder-a-vergonha-e-tentar/.

68. E a vida sem sexo, como vai? Melhor que sexo. Conheça um pouco mais sobre Assexualidade – http://tab.uol.com.br/assexuais/.

69. Discussão sobre Gênero na Escola e Educação – Professora e Pesquisadora de Estudos de Gênero comenta declaração de prefeito de Florianópolis sobre Plano Municipal de Educação – http://professorlinoperes.com.br/?mod=pagina&id=406 – Entenda o caso: https://www.facebook.com/everson.mendes.79/posts/1479152062395243 e https://www.facebook.com/everson.mendes.79/videos/vb.100009013893043/1479357275708055/?type=2&theater .

70. Sexualidade na Educação – Direto ao ponto: As principais dúvidas sobre Educação Sexual – Sexo, identidade de gênero e orientação sexual: quais as diferenças? – http://revistaescola.abril.com.br/blogs/educacao-sexual/2013/05/30/os-jeitos-sexuais-de-ser/.

71. RELACIONAMENTO É PARCEIRIA E NÃO PROPRIEDADE – https://ventomar.wordpress.com/2015/06/08/relacionamento-e-parceria-e-nao-propriedade/.

72. Lingeries masculinas conquistam mais adeptos a cada dia; você usaria? Cuelcinhas – https://estilo.catracalivre.com.br/comportamento/lingeries-masculinas-conquistam-mais-adeptos-a-cada-dia-voce-usaria/. Outros sites relacionados: https://bodyaware.com/. http://www.hsmens.com.br/. http://www.hommemystere.com/.

73. Fluidez sexual: não somos APENAS gays ou héteros – Vlog Sem H – https://www.youtube.com/watch?v=qF_6cxPndPc.

74. Desde posições mais comuns até brinquedos mais usados, rede mapeou o perfil sexual do brasileiro – http://elastica.abril.com.br/o-sexlog-rede-social-de-sexo-reuniu-dados-reveladores-sobre-o-que-a-galera-curte-na-cama.

75. A curiosa cidade onde as meninas desenvolvem pênis quando chegam à puberdade – http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=35650.

76. As Hiper Mulheres do Xingu – Esqueça o que aprendeu sobre “comportamento sexual feminino” – https://asminanahistoria.wordpress.com/2015/09/29/as-hiper-mulheres-esqueca-o-que-aprendeu-sobre-comportamento-sexual-feminino/.

77. dez coisas que homens fazem errado durante o sexo – http://vulvarevolucao.com/2015/10/05/10-coisas-que-homens-fazem-errado-durante-o-sexo/.

78. Homens héteros falam sobre o prazer de se vestirem como mulher. Enquete da reação das mulheres – http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2015/10/09/homens-heteros-falam-sobre-o-prazer-de-se-vestirem-como-mulher.htm?cmpid=fb-uolnot.

79.Cantora Bárbara Eugênia tira a roupa em show para pedir naturalização da nudez – http://f5.folha.uol.com.br/celebridades/2015/11/1701129-cantora-barbara-eugenia-tira-a-roupa-em-show-para-pedir-naturalizacao-da-nudez.shtml.

80. Parece 1915, mas é 2015: campanha usa notícias para abordar igualdade de gênero. http://www.adnews.com.br/publicidade/parece-1915-mas-e-2015-campanha-usa-noticias-para-abordar-igualdade-de-genero e veja o video abaixo (inglês)

81. Livro ensina a discutir com fascistas: Parabéns, atingimos a burrice máxima – A “baranga” Simone de Beauvoir e a importância de um livro que ensina a conversar com fascistas. http://brasil.elpais.com/brasil/2015/11/09/opinion/1447075142_888033.html.

82. Qual é o seu talento sexual?? (teste) – http://mulher.uol.com.br/comportamento/quiz/2015/11/22/qual-e-o-seu-talento-sexual.htm.

83. Brasileiro é falso moralista e duas-caras quando se trata de sexualidade, dizem historiadores – http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2012/04/27/brasileiro-e-falso-moralista-e-duas-caras-quando-se-trata-de-sexualidade.htm.

84. Educação de gênero: por um ensino sem “coisa de menino” e “coisa de menina” – http://naescola.eduqa.me/carreira/educacao-de-genero-por-um-ensino-sem-coisa-de-menino-e-coisa-de-menina/.

85. 48 frases que homens escutam ao longo da vida (e que são ruins pra todo mundo) – https://www.facebook.com/HuffPostBrasil/videos/1149354551741464/.

86. 48 Things Women Hear In A Lifetime (That Men Just Don’t) – 

87. Racismo | Nerdologia 90. https://www.youtube.com/watch?v=qip5YJw-f9c .

88. Existe cura gay? | Nerdologia 86. https://www.youtube.com/watch?v=8zx8HXIZ-44.

.

89. Sexo casual não precisa ser vazio, frio, raso. http://lounge.obviousmag.org/coffee_is_my_boyfriend/2015/09/sexo-casual-nao-precisa-ser-raso.html.

90. Movimento apoia professor afastado por uso de saia. http://correio.rac.com.br/_conteudo/2016/03/campinas_e_rmc/419697-movimento-apoia-professor-afastado.html.

91. Videos exploram erotismo com frutas por Stephanie Sarley. http://stephaniesarley.com/videos/. e

92. Pai dá cozinha rosa para filho aprender que não existe brinquedo de menina ou de menino. http://maternar.blogfolha.uol.com.br/2016/03/04/pai-da-cozinha-rosa-para-filho-aprender-que-nao-existe-brinquedo-de-menina-ou-de-menino/?cmpid=facefolha

93. Coleção sobre antiprincesas e antiheróis ajuda a desconstruir estereótipos de gênero em sala de aula  – Livros resgatam personagens latino-americanas como Frida Kahlo, Violeta Parra e Clarice Lispector – http://www.cartaeducacao.com.br/reportagens/colecao-sobre-antiprincesas-e-antiherois-ajuda-a-desconstruir-estereotipos-de-genero-em-sala-de-aula/.

94. “Deixando o X para trás na linguagem neutra de gênero”, por Juno – http://partidopirata.org/deixando-o-x-para-tras-na-linguagem-neutra-de-genero-por-juno/ ou original em https://naobinario.wordpress.com/2014/11/01/deixando-o-x-para-tras-na-linguagem-neutra-de-genero/.

95. Eram os indígenas transgêneros? Índios americanos chegavam a ter até 5 gêneros. Redução aos opostos binários homem-mulher veio com europeus. – http://outras-palavras.net/outrasmidias/?p=329861.

96. Sexo pode ser o que você quiser: manifesto por uma sexualidade menos careta – http://www.casalsemvergonha.com.br/2014/06/03/sexo-pode-ser-aquilo-que-voce-quiser-manifesto-por-uma-sexualidade-menos-careta/ ou aqui.

97. Enquete simples sobre Sexualidade – http://www.ohomemfeminino.com.br/2016/08/enquete-sexualidade.html.

98. Video: Ideologia de Gênero – 3/6 – Sexo é da Biologia e Gênero é da sociedade e da culturahttps://www.youtube.com/watch?v=DiwYDVBhQU4.

99. Conheça catarinenses que abrem espaço à diversidade na internet – http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2017/01/conheca-catarinenses-que-abrem-espaco-a-diversidade-na-internet-9325323.html.

100. Qual é meu Gênero? | Louie Ponto | Especial Dia da Mulher – https://www.youtube.com/watch?v=LV7l13SZcw8.

101. Como saber se sou lésbica ou hétero ou gay ou bi ou assexuada?| Louie Ponto – https://www.youtube.com/watch?v=prLICzyhYDM.

102. Dar cu é bom? Faz mal? Dá pra gozar? É submissão? Passa doenças? E se sair cocô? A gente responde a todas essas dúvidas sobre o uso sexual do ânus e muito mais nesta reportagem – https://www.papodehomem.com.br/dar-cu-e-bom.

103. Por que as pessoas, na internet, se incomodam tanto que meu filho use vestidos? – https://medium.com/polemiquinhas-com-a-carol-patrocinio/por-que-as-pessoas-na-internet-se-incomodam-tanto-que-meu-filho-use-vestidos-609142a74e9#.f6jt32ciw.

103. Sexo, orientação sexual e identidade de gênero: qual a diferença? – http://www.comum.vc/conteudo-aberto/2016/5/25/sexo-orientacao-sexual-e-identidade-de-genero-qual-a-diferenca.

104. Quadrinhos Um Sábado Qualquer – Mundo Avesso – Linhas de raciocínio – http://www.umsabadoqualquer.com/mundo-avesso-linhas-de-raciocinio/.

105. Video: HOMENS LIBERTEM-SE! (HLS!) – https://www.youtube.com/watch?v=DBSTHArYJwQ .

106. NEM SEMPRE EXISTIU A HETEROSSEXUALIDADE – Como foi criada a heterossexualidade como a conhecemos hoje. http://www.bbc.com/portuguese/vert-fut-40093671.

107. O fantasma do amor romântico nas relações livres – https://amoreslivres.wordpress.com/2013/12/21/o-fantasma-do-amor-romantico-nas-relacoes-livres/.

.

TRAIR OU NÃO: EIS A QUESTÃO

Em relacionamentos sempre aparece a questão de traição. Sempre.

Acredito muito na liberdade individual dentro dos relacionamentos. Não estou defendendo a traição. Apenas que os casais devem, e muito, se curtir ao máximo, e em alguns momentos de seu longo tempo juntos, devem experimentar coisas e/ou pessoas diferentes para aprender algo novo, mesmo que seja para concluírem que não gostam disso ou daquilo, ou que se amam tanto que não precisam de mais ninguém ou de nenhuma fantasia diferente ou extra-conjugal.

Mas como conversar sobre isso? Em qual perfil vocês podem se encaixar ou querem provar? Após conversas com diferentes amigos e outras fontes, resolvi escrever um outro ponto de vista sobre o assunto traição. Normal sentirmos medo de sermos traídos. Ninguém gosta de ser traído. Digo ninguém com tanta razão pois, se é consentido, não é traição, mesmo que seja uma fantasia ou maquiado para que pareça traição (pra quem aprecia, cornos, cuckholders e afins, o que é outro assunto). Então, por que tememos?

Tememos ser traídos por medo de perder.

Perder o que? Esta é a questão. Por medo de perder “o outro”, a pessoa que nos escolheu para viver conosco. Mas pera aí. Então pessoa trai, se arrepende e conta para a mulher ou marido a fim de não ter mais segredos. E o indivíduo que “foi traído” termina, “por que não dá mais pra confiar! Acabou. Ponto final. Tchau”. É isso aí. Pronto ferra tudo… E todos aqueles anos de relacionamento, toda a história que passaram juntos, todos momentos lindos, quem sabe até filhos, tudo de bom, sonhos, amizades, cartinhas, passeios, viagens, fotos… etc etc coraçõezinhos e blá blá blá = tudo jogado fora e restrito ao passado, por causa de uma ação boba não perdoada?????? Pera aí, não faz o menor sentido isso!!!! Não estou defendendo que devemos ser tapados e cornos mansos e perdoar todas as traições ou que nunca devemos contar pra não machucar o outro. Apenas quero incitar a reflexão. Que se pense, de preferência antes de fazer. Que, de preferência, haja consenso.

Nossos relacionamentos são reflexo de nossa sociedade.

Os relacionamentos amorosos (e não só eles) são muito baseados na educação que recebemos, principalmente da sociedade. E nossa sociedade é tradicionalmente proprietária, machista e conservadora, mas também burra. Consequentemente os relacionamentos convencionais, hoje, são assim também. Felizmente o mundo está aprendendo a ver (o óbvio) que os seres são humanos, são vivos e que humanos não são propriedade.

Exemplificarei abaixo alguns tipo de relacionamentos possíveis, dos que já ouvi falar, para vocês – pessoas parceiras, namoradas, casadas – conhecerem e escolherem. Após a escolha, conversem bem, deixem claras as regras, e experimentem. Também definam uma data para conversar sobre o assunto e avaliar se o tipo de relacionamento serve para vocês, ou se não, trocar por algum outro.

Para entender os tipos vale esclarecer algumas expressões:
Ficar: 1. ter intimidade com alguém por um tempo. 2. beijar alguém com intimidade, normalmente na boca e de língua.
Amassos: troca de carícias, envolvendo normalmente beijos, carinhos e carícias com as mãos e outras partes do corpo. “Mão-boba”.
Amassos calientes: troca de carícias, envolvendo normalmente beijos, carinhos e carícias com as mãos e outras partes do corpo com os órgãos sexuais e partes íntimas, sem haver penetração. Também chamado comumente de preliminares. “Mão-boba” acompanhada de masturbação e/ou sexo oral, chupadas, sem haver penetração se encaixam neste padrão.
Transar: Ter relações sexuais com alguém envolvendo penetração ou intimidades profundas entre os órgãos sexuais e partes íntimas.

Tipos de Relacionamentos comuns:

Tipos de Relacionamento

 Descrição

Convencional Se caracteriza por um casamento ou namoro sem conversa sobre que tipo de relação o casal vai optar por ter, pois está subentendido por ambos, devido ao que acreditam que a sociedade prega, “que é óbvio” e não precisa se falar a respeito. Aqui em nossa sociedade ocidental, patriarcal, machista (enrustida) e conservadora ficará subentendido, e será considerado óbvio portanto, que não se pode ficar com outras pessoas. Nenhum dos dois pode sequer pensar em ficar com outras pessoas. Este tipo de relacionamento é o que acarreta muitas cenas públicas ridículas de ciúmes entre casais, pois isto é prova cabal que não dialogam. Também conhecido como Relacionamento fechado óbvio, ou fechado convencional ou fechado tradicional. Ver site recomendado número 1.
Tradicional assumido Trata-se de um relacionamento tradicional contemporâneo onde o casal conversa e decide que esta é a melhor opção para eles: relacionamento de apenas duas pessoas – o casal (normalmente heterossexuais, mas pode ser tradicional da mesma forma em relacionamentos homossexuais) – onde nenhum dos dois terá relacionamentos com outras pessoas, sem ficar, e jamais pensar em algo mais complexo que isto como amassos, ou transar com alguém que não seja o casal, ou até mesmo traições virtuais – hoje em dia isto também tem que ficar bem claro – algo como: pode ou não fazer sexo virtual com outras pessoas, ou que tipos e conteúdos de conversas é possível ter com amigos ou desconhecidos pelo meio virtual.  Também chamado de relacionamento fechado consensual (leitura complementar 1).
Enrolados “Quando o casal está apenas ficando, mas ainda não consideram que estão namorando”. Por este motivo normalmente consideram que está subentendido que, se rolar, podem ficar com outras pessoas (novamente, pois é comum pessoas não gostarem de conversar sobre relacionamento). Neste caso o ficar pode tomar um sentido “mais adulto” e envolver amassos calientes e transas. Mas existem pessoas que acreditam que esteja subentendido exatamente o contrário: “que se está enrolado comigo não pode ficar com mais ninguém“. Detalhe que normalmente nunca falaram a respeito, pois neste tipo de relacionamento normalmente não se tem intimidade ou segurança para isso.  (1 e 2 e 3 e 4).
P.A. ou B.A. ou A.C. Siglas de Pau-amigo (ou Pepeka Amiga) ou Buceta-amiga ou Amizade Colorida. Semelhante aos enrolados ou ficantes, mas com a grande diferença de que deste relacionamento não se espera nada além de sexo. São pessoas normalmente amigas e boas de cama para quem “ligamos” quando estamos apenas com carência física de sexo. Não se trata de alguém que iremos convidar para o cinema, um jantar a luz de velas ou para apenas ficar conversando enquanto vemos um romântico pôr-do-Sol e sim para aproveitar que os roomates viajaram para inaugurar o colchão novo ou aquela lingerie safada. (18 e 26).
A Amizade Colorida se difere um pouco do P.A., pois pode ser um amigo, que sai e convida para a balada, sabendo que pode rolar um sexo gostoso depois, mas sem apego, sem compromisso, sem cobrança, sem ligar no dia seguinte: “só amigo”, cineminha, balada, bar ou jantarzinho… mas com bônus quase certo depois.
Relacionamento Aberto e
Livre
Relacionamentos abertos possuem uma pessoa que é o centro da relação e a possibilidade de se envolver com outras, desde que com menor envolvimento.

Relacionamento Aberto Limitado: Um casal (namorados ou casados ou amasiados ou que morem junto), que decide de forma clara que é possível que algum dos dois, ou os dois, fiquem com outras pessoas fora do casal, mas com regras claras limitantes decididas por ambos em acordo mútuo, por exemplo: Só pode ficar com outra pessoa no mesmo ambiente (por exemplo em festas que ambos estejam) ou o contrário, sem que o outro veja, só em momentos que o parceiro não esteja junto;  ou Só com conhecidos ou o contrário – só com desconhecidos; ou Não pode deixar rolar amassos (não deixar rolar mão-boba, ou sem tocar partes íntimas, etc), sem sexo mas só beijos; ou que Sempre deve-se contar ao outro que ficou com alguém ou ao contrário, sem que o outro saiba; Só se for com pessoas do mesmo sexo (homo) ou só do sexo oposto; Só na casa do casal ou só fora ou só em locais específicos como boates comuns ou casas de swing; Se pode ou não conhecidos pela internet/tinder/etc; Se assumindo para os amigos/família ou em sempre em segredo; ou Só se for a 3 (menáge), isto é, sempre ambos ficando com uma terceira pessoa, o que, em casais hétero, sempre haverá um bi nestes momentos. Etc. As regras podem ser diversas, de acordo com a necessidade e criatividade do casal (2 e 63 e 104 e 119).

Relacionamento Aberto Completo: Semelhante ao anterior, em que o casal decide claramente que ambos podem ficar com outras pessoas, mas à vontade, quando, como e onde quiserem, sem necessariamente precisar dar alguma satisfação ao parceiro. É portanto o relacionamento com menor chance de traição, por definição (2 e 63 e 104).

Relacionamento Livre, RLi: é comumente confundido com aberto completo, mas o enfoque é um pouco diferente. Nesta forma de relacionamento não existe limite: estamos juntos por que queremos estar e isso nos faz bem, mas se quisermos ou não ficar com outras pessoas isso é possível.

AMOR LIVRE é algo ainda mais libertário, no sentido de considerar que não temos obrigação de nada. Se eu quiser ficar solteiro para sempre, que assim seja, e se  em algum momento quiser ficar com duas ou três pessoas simultaneamente, tá valendo. Basta lembrar a regra de respeito e consensualidade sempre. Não exijo nada e não aceito cobranças, só respeito. (Mais em 67 e 107 e em relacionamento anárquico, comparações com poliamor em 111 e 112, e 117 que explica bem como deve ser o sentimento livre e a importância de se amar por inteiro antes de amar outrem)

Corno assumido ou cuckold ou cuckquean
Neste tipo de relacionamento “aberto”, o casal conversa e decide que um dos dois será o corno e o outro o traidor. Em comum acordo esse papel pode ser trocado, ou não, sendo que o traidor pode passar a ser corno enquanto o corno passa a ser o traidor. Mas este tipo de relação SEMPRE envolve um que trai e o outro que não trai mas neste momento quer ou gosta de ser traído.   O tipo de relação mais comum envolve marido corno e esposa traidora (ou infiel, como eles dizem). De acordo com site especializado no assunto, o nível de cornitude pode variar, por exemplo, em um extremo de apenas gostar da ideia de aceitar, com prazer, em saber que sua esposa fica com outros homens sem saber os detalhes, até outro extremo ao ponto de ser humilhado por ela e pelos amantes dela, com direito a beber o esperma deles, e/ou usar um cinto-de-castidade ou gaiola-de-castidade (daí o nome em inglês cuckold), enquanto usa roupinhas femininas dela e chupa o amante junto com a esposa, e/ou até assumindo a gravidez dela pelo outro. Se a situação for exatamente inversa, em que o marido fica com outras pessoas e a esposa apenas assiste e consente, ela pode ser chamada cuckquean ou corna. (Leituras complementares 1014 e em especial o 15).
Relacionamento múltiplo assumido ou poliamor Aqui se encaixam as pessoas que possuem, assumidamente, relacionamento amoroso ou sentimental, com completo envolvimento, com mais de uma pessoa ao mesmo tempo. O tipo de relação em relação à fidelidade pode ser igual a qualquer um dos anteriores, mas neste caso não se trata de um casal de duas pessoas apenas, pode ter diferentes formas, das quais as mais comuns são:

Relacionamento a três ou threesome (que em inglês também é associado ao menáge, que é ato sexual envolvendo três pessoas) ou em português neologismo – trisal: Neste caso os três ficam entre si (ou não), podendo dividir a mesma casa e objetos, como acontece com um casal de duas pessoas, mas em três. Não preciso dizer que pode ser formado por três pessoas do mesmo sexo (MMM ou FFF) ou duas de um sexo e uma de outro (MFM ou FMF ou MMF ou FFM, etc). (19).

Relacionamentos duplos simultâneos (ou triplos ou mais): aqui o casal, normalmente namorado ou casado, assume que cada um tem um outro relacionamento independente com outra pessoa, que pode ser assumido em público ou apenas para os envolvidos. Por exemplo: o casal  – homem e mulher – são casados, mas ele tem a namorada dele, com quem também sai em público e ela até conhece a esposa e sabem uma da outra. E ela, a esposa, tem seu namorado, na mesma relação como a dele (que o marido tem com sua namorada). No caso, estes namorados do casal também podem ter outros relacionamentos com outras pessoas diferentes ou não.

Portanto, como falei acima, este “casal de 3″ ou  casal múltiplo” pode decidir ter um relacionamento tradicional assumido (fechado), isto é, sem ninguém ficar com qualquer pessoa além das envolvidas e que não estejam nessa relação, ou algo mais aberto, de forma limitada ou completa. (Ver Poliamor nos links relacionados – 24 e 33 e 68 e 102 e 103 e 105 e 111 e 112).

É importante realçar que EM TODOS OS TIPOS DE RELACIONAMENTOS citados, com exceção do primeiro (infelizmente) – convencional – devem sempre haver conversas claras entre o casal, deixando certo todas as regras do que se pode ou não se pode. E que além destes tipos mais comuns, existem outros que podem ser abordados em outro momento (16). Agora sim podemos afirmar que TRAIÇÃO é desrespeitar qualquer uma das regras conversadas anteriormente. Se não foi acertado, pode não ter sido traição, mas sim, falta de clareza. Isto é: conversem mais! Se não conseguem ter clareza no que pode ou não no vosso relacionamento, como querem ter um relacionamento saudável e seguro. Vale lembrar que alguns relacionamentos deixam as regras muito claras, mas elas não servem para os dois, isto é, os dois precisam aceitar as regras, sempre. Senão, não tenha essa relação. (Leituras complementares 4, 5, 6, 7, e 9 e 119).

tipos de poliamor

Mapa da Não-monogamia, a quem interessar entender que tipo de relacionamento não monogâmico deseja propor para seus parceiros.

Opção

Quando optamos por ter um relacionamento sério com alguém, seja namoro, casamento ou morar junto, fazemos um acordo. Esse acordo envolve muitas coisas, mas acredito que a mais importante é:

Tentarei te fazer feliz todos os dias que estivermos juntos!

Muito mais do que “não te trairei” ou “não beijarei mais ninguém” ou “não sairei do teu lado”, etc. Entende a diferença? (2 e 117) O que é te fazer feliz? Fazer feliz, é antes de tudo, entender o outro como indivíduo. Como ser independente de mim, com sua história e livre. Que está comigo por que quer, por que me ama e por nada mais. Por que sabemos ser felizes juntos.

Mas quem ama não trai!”

Não trai, mas deixa de fazer o que gosta? Isso pode não ser trair o outro mas ao deixar de fazer o que gosta, você não está deixando de ser você? E deixando de ser você não está se traindo? Isso não é bem pior?

Depois que houver traição nunca mais será a mesma coisa“.

Sério que teu relacionamento e uma linda história de amor, futura família e tudo o mais se resume a isso?

Como você se sente quando sai na rua, num dia comum, e no sentido contrário vem aquele monumento artístico lindo do sexo oposto (ou não para os homos e bis), te dá aquela olhada de cima abaixo que inevitavelmente te faz sorrir?

Em minha doce e humilde opinião, jamais deveríamos nos sentir culpados por isso e sempre felizes, mesmo que apenas por dentro. Mas quando estamos em relacionamentos opressores (seja pelo parceiro ou pela nossa educação cultural ou familiar ou religiosa), nos sentimos mal após passar por essa deliciosa experiência e culpados por termos nos sentido bem. Mas se sequer nos sentimos felizes e nem tivemos vontade de sorrir com esta situação, acho que precisamos de uma terapia – sério! Mas se nos sentimos felizes e preferimos esconder isso do mundo e do parceiro, acho que é bom rever seu relacionamento. Quem disse que seu parceiro não sente o mesmo? Quem disse que isso não pode ser muito bom para ambos, e ainda assim continuarem casados e felizes para sempre… só que com uma autoestima bem melhor. Não acha?

Lembro que estou aqui para instigar e não apresentar respostas. Muitas vezes os casais (que inclusive podem ser de mais do que duas pessoas como explicado no quadro acima, papo para outra postagem, por que não?) NÃO querem ficar com outras pessoas. Tudo certo, que não fiquem e sejam felizes. Muitas vezes (que creio ser mais comum), as pessoas pensam em ficar com outras pessoas eventualmente (sem perder o lindo sentimento pelo parceiro), mas não o fazem por terem esse acordo, na maioria das vezes apenas implícito (isto é, sem nunca terem conversado a respeito, como explicado no quadro acima). Ou o fazem em segredo, pois a pessoa parceira “jamais entenderia”, ou “não perdoaria”. Mas por que não conversam então?

O grande problema volta a ser que as pessoas não conversam!!!!

Por isso enquanto namorados, o ideal é que as pessoas tenham abertura para conversar sobre TUDO com seus parceiros, sempre. Claro que o mundo não é assim perfeito e as situações e climas nem sempre nos favorecem. Mas que nos permitamos estar abertos a estes assuntos. Antes de mais nada, a ouvir o parceiro, sem julgar. (4)

Fácil falar né? Agora vamos tentar…

É, na prática pode não ser tão fácil, ainda mais em relacionamentos que já estão viciados nos mesmos assuntos. Mas Não é impossível, convenhamos.

Como fazer afinal?

Proponho que em vez de trair, a opção seja de conversar com o parceiro antes de ficar com outras pessoas e, neste caso, assumir um relacionamento com abertura eventual ou permanentes, mas, diga-se de passagem, sempre assumidas para ambos e de preferência combinados todos os detalhes (ver exemplos de Relacionamento aberto limitado no quadro acima). Isso ainda não é necessariamente ter um relacionamento aberto. Não é porque vocês combinaram que dia tal vão ver se agarram alguém, que já vai sair por aí mudando seu status de relacionamento no facebook ou nas outras redes sociais, e começar a criar perfil de caça do casal em sites de relacionamentos. Não que não possam fazer isso, mas a proposta é bem diferente e bem mais simples. Se já conversaram sobre o causo de poder algum dia acontecer essa possibilidade, se ambos estão seguros e confiantes no seu taco, por que não aceitar aquela investida de um desconhecido ou mesmo de um conhecido distante? Tá, mas como assim? Seguinte, não há como negar que somos humanos. Vez ou outra na vida aparece alguém e dá em cima da gente. Nos relacionamentos fechados normais (convencionais ou tradicionais, conforme citado no quadro acima) fingimos que não vemos, ou cortamos assumidamente, ou cedemos secretamente e depois já sabemos o resto. Mas se essa pessoa que deixou a asinha no meio do caminho ou deixou cair o lenço for interessante? Por que não ficar atento ao sinal, sem necessariamente corresponder, e comunicar ao parceiro que “pode ser que” ou que “está rolando um clima”? A partir daí é combinarem se ambos concordam, como e quando isso poderia acontecer, se com a presença de ambos ou não, se o outro vai investir em outra pessoa no mesmo momento, no mesmo lugar ou a parte ou vai apenas ficar jogando cartas com os amigos, o que pode deixar rolar ou não, se o outro parceiro não quer fazer nada, etc. (ver exemplos de Relacionamento aberto limitado no quadro acima). Existem outras possibilidades, para casais menos abertos a conversa, mas que admitem que isso pode acontecer: Não contar, mas deixar autorizado que caso aconteça, deixa rolar. Isto é, uma autorização prévia, também concebida no relacionamento tipo aberto limitado (supra citado no quadro).

A questão em todos os casos é que fique tudo claro, sempre.

Ao menos em relação ao que pode e ao que não pode, para evitar que se machuquem, pois é isso que ninguém quer. Acredito que se o objetivo não é abrir o relacionamento para o público, que não se assuma. Evitem fazer isso em público. Sabemos que a sociedade ainda se preocupa mais com a vida alheia que com a própria. Realmente basta estar claro para os dois, isso é o que mais importa. Sem dúvida seria melhor não ser julgado, não alimentar fofocas, mas como diz a Adriana Calcanhoto na música do Leoni: “os outros são os outros e só”. Se acredita que está preparado para algo diferente ou não: Leia os artigos nos links ao final desta matéria.


(Pausa para lanchinho).

Se já entendeu pode parar de ler aqui e pular direto para os links ao final desta matéria, se está gostando ou se não entendeu, leia mais um pouquinho: (sugiro que leia o link 1 e volte aqui para ler o restante)

“Depois que houver traição nunca mais será a mesma coisa”. Será? Acho que o próprio conceito de “traição” pressupõe isso. Por isso é preferível que tudo fique às claras antes de acontecer. Mas digamos que “já foi”, “não deu pra resistir” e a “cagada já ta aí”, ainda sou adepto de manter a verdade, sempre. Acontece que se casamos ou namoramos sério, temos que saber como é o temperamento de nosso parceiro. Como ele reagiria a um caso desse tipo. Pois como em alguns exemplos acima, se o cara conhecia a parceira ao ponto de saber que ela JAMAIS perdoaria ao ponto de terminar a relação, sinceramente, era realmente melhor ter se arrependido sozinho e guardado pra si.

– Ah, mas estás defendendo quem age errado!!!

Não. De forma alguma. Mas sim estou questionando se vale a pena perder uma relação que tem tudo de muito legal, por causa de uma idiotice que já passou? Sinceramente acho que a mulher do caso contado no link 1 (leituras complementares abaixo) realmente não o merecia por ela ser besta assim de terminar após o parceiro contar a verdade sobre ter traído. Estou defendendo que felicidade é muito mais do que isso. Pensemos em todos os problemas de ter uma família que poderia se amar mas que está separada e criando filho a distância por uma bobagem. Bobagem sim. Começando por outro chavão:

“Nesta vida não temos nada de verdade. A única coisa que é realmente nossa é nosso corpo”.

Então, qual o problema de sentir prazer com meu corpo do jeito que eu escolher? Nenhum, desde que teu prazer não prejudique o meu! Neste sentido, não sou dono do teu corpo, pelo mais que sejamos casados. Teu corpo é teu!

Quando casamos ou namoramos firme ou moramos juntos, fazemos sim um contrato informal ou formal (para os que casam). E as entrelinhas deste contrato dizem que:

– Tentarei te fazer feliz todos os dias que estivermos juntos! E isto é mais importante que “serei 100% teu e de mais ninguém”, nem em pensamento (como se isso pudéssemos controlar).

O que isto quer dizer que: se teus atos não me fazem mal, se não te tomam o tempo que estarias comigo, se não deixarão você mal falado (infelizmente parte da sociedade é uma merda que se preocupa mais com a vida alheia que com a própria), se não te provocarão ao ponto de querer me deixar por causa deles, se não me deixarão nenhuma doença, se não prejudicarão nosso filho ou nossa convivência: – Viva e seja feliz!!! Como casal, prefiro que conversemos tudo isso antes, como bons amigos, e sabe por que amigos e não como namorados? porque amigos dão bons conselhos. Sempre defendi, em meus relacionamentos, que

antes de sermos amantes devemos ser bons amigos

e é inclusive isso que quero deixar claro. (Não é a toa que vou para 10 anos de relacionamento firme e estável em breve). Claro que tudo isso requer muita maturidade. E não, não começamos nosso namoro assim, isso fomos desenvolvendo ao passar dos anos, com muita amizade, muita conversa e confiança. Já tivemos nossas experiências, algumas como as citadas, gostamos de umas, desaprovamos outras, experimentamos enfim. A conversa e o acordo mútuo é a solução, sempre. Ambos devem estar satisfeitos. Na dúvida de como fazer, peça pro parceirx ler este texto e conversar contigo depois. Acho que pode ajudar. Passe o link pra ele. 😉 Trair, Mentir… não não, ou Abrir? vocês tem que ver se é pra vocês. Respeitar, Falar, Confiar? Ah, isso sempre.


LINKS – LEIA TAMBÉM:

Páginas interessantes sobre o assunto, com outras opiniões. Leituras complementares. (Estes links não necessariamente representam as ideias deste autor, apenas complementam ou até contrariam, para que você desenvolva sua própria forma de pensar)

1. Quando contar ou não sobre uma traição – http://www.pergunteaumamulher.com/2014/02/quando-contar-ou-nao-sobre-uma-traicao.html ou aqui.

2. Quiz: “Ninguém deveria se preocupar se o parceiro transa com outra pessoa” e teste para ver se sua relação te consome demais – http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2012/12/08/ninguem-deveria-se-preocupar-se-o-parceiro-transa-com-outra-pessoa-diz-psicanalista.htm ou aqui.

3 Coisas que você faz e destroem as suas relações – http://www.comum.vc/conteudo-aberto/2016/6/10/3-coisas-que-voce-faz-e-destroem-as-suas-relacoes.

4. Evitar discussões pode acabar com seu relacionamento – http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/evitar-discussoes-pode-acabar-com-seu-relacionamento/ ou aqui.

5. 5 Erros graves que cometi quando me iniciei no Poliamor (em espanhol e inglês) – “5 Errores Graves que cometí cuando me inicié en el Poliamor” (SIAN FERGUSON) – http://www.golfxsconprincipios.com/lamoscacojonera/5-errores-graves-que-cometi-cuando-me-inicie-en-el-poliamor-sian-ferguson/ ou 5 Dangerous Mistakes I Made When I Started Practicing Polyamory – http://everydayfeminism.com/2016/09/mistakes-made-practicing-polyamory/.

6. Nudez e vergonha do corpo – http://arthurlacerda.wordpress.com/2014/01/25/nudez-e-vergonha-do-corpo/ ou aqui.

7. Fotos de mulheres nuas discute sexualidade como tabu – http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2014/05/1452236-mostra-com-fotos-de-mulheres-nuas-discute-sexualidade-como-tabu.shtml ou aqui.

8. Relacionamentos Anárquicos em 8 Pontos – https://amoreslivres.wordpress.com/2013/07/20/relacionamentos-anarquicos-em-8-pontos/.

9. Fotos mostram os fetiches sexuais das pessoas – http://www.hypeness.com.br/2013/07/serie-fotografica-mostra-os-fetiches-sexuais-das-pessoas/ ou aqui.

10. Quer iniciar no mundo corno e não sabe como – http://mycuckold.blogspot.pt/. 11. Rede social sobre Fetiches, BSDM e outras parafilias – https://fetlife.com/.

12. O que são Parafilias – https://pt.wikipedia.org/wiki/Parafilia ou aqui.

13. Blog sobre BSDM, parafilias e outras formas de sexo diferentes – http://www.seuprazer.net/ ou aqui.

14. Várias postagens sobre ser corno ou cuckholding – http://www.seuprazer.net/category/parafilias/cuckold.

15. Manual para ser corno – http://www.seuprazer.net/manual-para-ser-um-corno-cuckold-fetish.html ou aqui.

16. Os 6 Tipos de Relacionamentos e como geri-los – http://www.lovesystems.com.br/conselhos_de_seducao/relacionamento ou aqui.

17. Casal Sem Vergonha, blog para pensar e abrir a cabeça saindo da rotina – http://www.casalsemvergonha.com.br/.

18. Pau-amigo, vários artigos – http://www.casalsemvergonha.com.br/?s=P.A..

19. Menage ou threesome, vários artigos – http://www.casalsemvergonha.com.br/?s=threesome.

20. Gosto não se discute: Fio dental para homens – https://estilo.catracalivre.com.br/2014/06/lancada-na-reino-unido-sunga-estilo-fio-dental-para-homens/.

21. Em defesa da liberdade de mostrar o peito: Biquini com estampa de mamilo – https://estilo.catracalivre.com.br/2014/06/mulheres-criam-biquini-com-estampa-de-mamilos-como-forma-de-protesto/.24

22. Ser humano deve trocar de parceiro a cada 5 anos – http://noticias.seuhistory.com/escritor-espanhol-garante-o-ser-humano-deve-trocar-de-parceiro-cada-cinco-anos.

23. 10 experiências sexuais que todos deveriam ter uma vez na vida – http://www.obaoba.com.br/pegacao/noticia/10-experiencias-sexuais-que-todos-deveriam-ter-uma-vez-na-vida.

24. Documentário mostra dia-a-dia de adeptos do poliamor – https://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/documentario-mostra-dia-a-dia-de-adeptos-do-poliamor/ – e o vídeo em – http://vimeo.com/23988620 ou https://www.youtube.com/watch?v=H3SbBZNotuc. Veja Também: Três documentários que falam sobre poliamor e suas infinitas maneiras de dizer ‘eu te amo’ – https://catracalivre.com.br/geral/invencoes-ideias/indicacao/tres-documentarios-que-falam-sobre-amor-e-suas-infinitas-maneiras-de-dizer-eu-te-amo/.

25. Fitoterápicos para aumentar a LibidoTribulus terrestris, Maca ou viagra peruano, Ginseng siberiano, e Gingko biloba – http://www.personare.com.br/fitoterapicos-para-aumentar-a-libido-m5207.

26. Regras para amizades coloridas – http://m.huffpost.com/br/entry/5648097.

27. A Monogamia é uma Prisão – O que é Monogamia, Poligamia e Relacionamento aberto – http://papodehomem.com.br/a-monogamia-e-uma-prisao/.

28. Felicidade dos recém-casados se esgota em dois anos, diz especialista OU DICAS PARA SER FELIZ – http://saude.terra.com.br/felicidade-dos-recem-casados-se-esgota-em-dois-anos-diz-especialista,301a9581f6c68410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html.

29. Monogamia pra quem? Blogueiras Negras – http://blogueirasnegras.org/2014/09/04/monogamia-pra-quem/.

30. A diferença entre amor e desejo, segundo seu cérebro – http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Neurociencia/noticia/2014/07/diferenca-entre-amor-e-desejo-segundo-seu-cerebro.html.

31. Casal religioso cria site de swing para troca de parceiros cristãos – http://revistamarieclaire.globo.com/Comportamento/noticia/2014/09/religioso-casal-cria-site-de-swing-para-troca-de-parceiros-cristaos-e-versiculos-da-biblia.html.

32. Testezinho bobo: Você tem ciúmes? – http://pt.what-character-are-you.com/d/pt/521/0.html#_=_ .

33. O que é Poliamor? – http://www.temilade.com.br/wordpress/?p=87.

34. Eu tenho uma revelação a fazer: Talvez você nunca tenha amado! (video) – http://www.contioutra.com/eu-tenho-uma-revelacao-fazer-talvez-voce-nunca-tenha-amado/.

45. Reduce Prostate Cancer Risk By Sleeping With Lots Of Women – But Not Men. (Dormir com mulheres diferentes reduz risco de cancer de próstata, mas não com homens – tradução livre do autor em favor da poligamia ou abertura do relacionamento por saúde) – http://www.science20.com/news_articles/reduce_prostate_cancer_risk_by_sleeping_with_lots_of_women_but_not_men-147845.

46. Entrevistas do Pergunte a uma Mulher – http://www.pergunteaumamulher.com/category/entrevistas/page/2 :
Com um homem hétero que pratica inversão – http://www.pergunteaumamulher.com/2013/03/entrevista-com-um-homem-hetero-que.html.
Sou mulher, comedora e dominadora. Qual é o problema nisso? – http://www.pergunteaumamulher.com/2014/03/sou-mulher-comedora-e-dominadora-qual-e-o-problema-nisso.html.
Como convenci minha mulher a transar com outro – http://www.pergunteaumamulher.com/2012/10/te-conto-como-convenci-minha-mulher.html.
Entrevista com um CrossDresser CD – http://www.pergunteaumamulher.com/2013/04/entrevista-com-um-crossdresser-cd.html.
Entrevista com casal Naturista/Nudista – http://www.pergunteaumamulher.com/2014/10/entrevista-com-um-casal-nudistanaturista.html.
Entrevista com um praticante de BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) – http://www.pergunteaumamulher.com/2014/06/entrevista-com-um-praticante-de-bdsm-bondage-disciplina-dominacao-submissao-sadismo-e-masoquismo.html.
Casal swinger, que faz troca de casais – http://www.pergunteaumamulher.com/2013/06/entrevista-sobre-swing.html.

47. Fotógrafa registra momentos íntimos de seu relacionamento aberto – https://estilo.catracalivre.com.br/modelos/fotografa-registra-momentos-intimos-de-seu-relacionamento-aberto/#.

48. Como seriam os relacionamentos humanos se nós usássemos rituais de acasalamento dos animais? – https://catracalivre.com.br/geral/sustentavel/indicacao/como-seriam-os-relacionamentos-humanos-se-nos-usassemos-rituais-de-acasalamento-dos-animais/ ou em inglês http://humoncomics.com/archive/animal-lives.

49. Terapeuta norte-americana se oferece para ‘dormir de conchinha’ com clientes. Ideia é criar energias amorosas sem conotação sexual. Conchinha, cafuné, abraço – https://catracalivre.com.br/geral/negocio-urbanidade/indicacao/norte-americana-cria-empresa-que-oferece-dormir-de-conchinha/https://www.facebook.com/CuddleUnyc.

50. Elas também curtem: sites pornôs para Mulheres que você precisa conhecer – http://vip.abril.com.br/elas-tambem-curtem-5-sites-pornos-para-mulheres-que-voce-precisa-conhecer/.

51. Novo app viabiliza sexo em grupo – https://catracalivre.com.br/geral/aplicativo/indicacao/novo-app-viabiliza-sexo-em-grupo/ e http://3nderapp.com/.

52. Carnaval 2015: Mocidade causa polêmica com casais de todos os gêneros em carro sobre sexo – http://extra.globo.com/noticias/carnaval/mocidade-causa-polemica-com-casais-de-todos-os-generos-em-carro-sobre-sexo-15350829.html.

53. O desapego nos relacionamentos – https://pramashanti.wordpress.com/2015/03/23/o-desapego-nos-relacionamentos/.

54. Cuidado: Entre quatro paredes: o machista de esquerda – https://hedra.com.br/blog/entre-quatro-paredes-o-machista-de-esquerda.

55. Mais que questão de respeito: Ilustrações mostram como comentários maldosos afetam a vida das pessoas. http://www.hypeness.com.br/2014/07/como-podem-ser-danosas-algumas-coisas-que-falamos/.

56. Deixa alguém gostar de você, caralho!!! – http://umtravesseiroparadois.com.br/deixa-alguem-gostar-de-voce-caralho/.

57. Nós, os fabricantes de solidão. É um erro acreditar que a experiência de se relacionar superficialmente irá gerar experiência para um relacionamento duradouro. Relacionar-se superficialmente ensina a ser cada dia melhor nisso, enquanto a experiência de fazer durar só se adquire fazendo durar – http://obviousmag.org/inquietudes/2015/05/nos-os-fabricantes-de-solidao.html#ixzz3a7L8ozSM.

58. Mulher tira folga do marido e vai para cama com estranhos durante um ano – http://ela.oglobo.globo.com/vida/mulher-tira-folga-do-marido-vai-para-cama-com-estranhos-durante-um-ano-15878553.

59. Se você é indeciso vale ler e tomar cuidado: Teoria das pessoas complexas – http://www.brasilpost.com.br/aina-cruz/teoria-das-pessoas-comple_b_7489582.html.

60. Promiscuidade e infidelidade estão no DNAhttp://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/promiscuidade-e-infidelidade-estao-no-dna/.

61. Você é uma pessoa emocionalmente forte? – http://www.equilibriovida.com/2015/07/voce-e-uma-pessoa-emocionalmente-forte/.

62. RELACIONAMENTO É PARCEIRIA E NÃO PROPRIEDADE – https://ventomar.wordpress.com/2015/06/08/relacionamento-e-parceria-e-nao-propriedade/.

63. O que um Casamento Aberto ensinou a um homem sobre Feminismo – http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2015/08/o-que-um-casamento-aberto-ensinou-um.html.

64. Selfies de Pênis, Fetiches e Putaria: Destrinchando uma Rede Social que Pretende Conectar os Surubeiros Brasileiros – http://www.vice.com/pt_br/read/sexlog-brasil-destrinchando-uma-rede-social-que-pretende-conectar-os-surubeiros-brasileiros.

65. Desde posições mais comuns até brinquedos mais usados, rede mapeou o perfil sexual do brasileiro – http://elastica.abril.com.br/o-sexlog-rede-social-de-sexo-reuniu-dados-reveladores-sobre-o-que-a-galera-curte-na-cama.

66. Dez coisas que homens fazem errado durante o sexo. http://vulvarevolucao.com/2015/10/05/10-coisas-que-homens-fazem-errado-durante-o-sexo/.

67. Amor livre ou sexo livre? Sobre amor, relacionamentos abertos e amizade. http://clitorislivre.com.br/2015/08/18/amor-livre-ou-sexo-livre-sobre-amor-relacionamentos-abertos-e-amizade/.

68. Poliamor é para pessoas ricas e bonitas. http://blogueirasfeministas.com/2014/02/poliamor-e-para-pessoas-ricas-e-bonitas/.

69. Traição é Natural? | Nerdologia 69. https://www.youtube.com/watch?v=IVHW4wx6R9A.

70. Tudo deu errado, não teve jeito = Dicas para esquecer um amor ou relacionamento – http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/3-dicas-da-ciencia-para-esquecer-um-amor/.

71. Sexo casual não precisa ser vazio, frio, raso. http://lounge.obviousmag.org/coffee_is_my_boyfriend/2015/09/sexo-casual-nao-precisa-ser-raso.html.

72. Relacionamento aberto for dummies: dez dicas do que é e do que não é – https://medium.com/@laurampires/relacionamento-aberto-for-dummies-dez-dicas-do-que-é-e-do-que-não-é-29055ec05ac6.

73. Não existe relação livre sem responsabilidade afetiva – https://amoreslivres.wordpress.com/2016/06/05/nao-existe-relacao-livre-sem-responsabilidade-afetiva/.

100. Meta: transar com 100 homens em 2011 – http://www.casalsemvergonha.com.br/2011/08/15/meta-transar-com-100-homens-em-2011/ ou aqui.

101. How Romanticism Ruined Love (Como o romantismo acabou com o amor – acione as legendas em português) – https://www.youtube.com/watch?v=jltM5qYn25w.

102. O que o Poliamor não é. https://vidapoliamor.wordpress.com/o-que-o-poliamor-nao-e/.

103. Quando dois é pouco – O poliamor como alternativa de relacionamento. http://www.sobrepsicologia.com.br/artigos/quando-dois-e-pouco.html.

104. O que os relacionamentos abertos têm a ensinar aos monogâmicos? – http://www.bbc.com/portuguese/vert-fut-36701662.

105. Sobre geração millennials e compersão: Os jovens estão realmente mais abertos ao poliamor ou só curtem trair? – http://www.vice.com/pt_br/read/poliamor-millenials-ciumes-traicao.

106. Quiz, Teste comportamento: Você daria conta de um relacionamento poliamoroso? – http://estilo.uol.com.br/comportamento/quiz/2016/07/19/voce-daria-conta-de-um-relacionamento-poliamoroso.htm.

107. Monogamia, Liberdade e Feminismo – http://aquelasmulheres.tumblr.com/post/74082902329/monogamia-liberdade-e-feminismo.

108. Amor e liberdade nos dias atuais – https://docoracaoaboca.wordpress.com/2016/08/17/amor-e-liberdade-nos-dias-atuais/.

109. Postagem censurada pelo Facebook – http://antropologiaseimagem.tumblr.com/post/80856105084/postagem-censurada-pelo-facebook-o-fotografo ou aqui.

110. As regras que a esposa de Albert Einstein precisava seguir para ficar com ele – http://super.abril.com.br/blogs/historia-sem-fim/veja-as-regras-que-a-esposa-de-albert-einstein-precisava-seguir-para-ficar-com-ele/ ou aqui.

111. Diferença entre Poliamor e Relação Aberta (R.A.) – http://sha-3p.blogspot.com.br/2014/09/diferenca-entre-poliamor-e-relacao.html.

112. Diferenças entre Poliamor e Relações Livres – delineando alguns conceitos – https://amoreslivres.wordpress.com/2013/07/24/diferencas-entre-poliamor-e-relacoes-livres-delineando-alguns-conceitos/.

113. Como foi transar com uma vítima de estupro – https://trendr.com.br/como-foi-transar-com-uma-vitima-de-estupro-9210eea52090.

114. Prisão monogamia: A monogamia é uma prisão quando não é vista como uma escolha. https://papodehomem.com.br/a-monogamia-e-uma-prisao/.

115. Sobre aquela mesma coisa de sempre disfarçada de amor-livre – https://versoando.wordpress.com/2014/10/01/sobre-aquela-mesma-coisa-de-sempre-disfarcada-de-amor-livre/.

116. Casal a 3 – Videoblog de coaching e orientações sobre diferentes formas de relacionamentos – https://www.youtube.com/channel/UCsq1luBH4mkTO4xBHR3M-GQ.

117. não-monogamia, dependência emocional e autocuidado ou PRECISO ME AMAR ANTES DE AMAR OUTRAS PESSOAS – http://nonsensemushroom.tumblr.com/post/115077394145/n%C3%A3o-monogamia-depend%C3%AAncia-emocional-e-autocuidado.

118. O tabu da monogamia. De Monica Montone – http://www.contioutra.com/o-tabu-da-monogamia/.

119. AS REGRAS DE UM RELACIONAMENTO ABERTO. Por Laura Pires – https://trendr.com.br/as-regras-de-um-relacionamento-aberto-ef86ab303e8b#.hb9t7msqn.
Basicamente: Respeito à individualidade não significa perder o respeito ao próximo. 1. Contar ou não contar. 2. Dormir junto. 3. Exclusividade emocional. 4. Frequência. 5. Ex. 6. Regularidade. 7. Com amigos/as.  8. Quando se está brigado. 9. Na presença da outra pessoa. 10. Comportamento em público. 11. Nudes. 12. E a família?. Autoconhecimento!

120. Amor, Respeito e Liberdade, por Kau Mascarenhas. https://youtu.be/sMz7GdO64RM.

121. Relação a três pode ser mais simples do que a monogamia, Regina Navarro Lins – https://reginanavarro.blogosfera.uol.com.br/2017/05/25/relacao-a-tres-pode-ser-mais-simples-do-que-a-monogamia/.

122. NEM SEMPRE EXISTIU A HETEROSSEXUALIDADE – Como foi criada a heterossexualidade como a conhecemos hoje. http://www.bbc.com/portuguese/vert-fut-40093671.

123. Toda forma de amor – conheça histórias de pessoas que acreditam no amor livre – http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/toda-forma-de-amor-conheca-historias-de-pessoas-que-acreditam-no-amor-livre.ghtml.

124. O fantasma do amor romântico nas relações livres – https://amoreslivres.wordpress.com/2013/12/21/o-fantasma-do-amor-romantico-nas-relacoes-livres/.

125. Três é demais? Mamilos apresenta uma conversa trazendo a perspectiva da biologia, da neurociência, da antropologia e da psicologia pra ampliar nossa compreensão sobre a monogamia como norma – http://www.b9.com.br/75106/podcasts/mamilos/mamilos-112-tres-e-demais/.

126. Mulheres podem ter múltiplos maridos? (em inglês) – https://www.youtube.com/watch?v=SmcwTSoyRF0 ou em https://www.facebook.com/tinytinysecrets/videos/874906262648120/.

.

 

dia 18 de junho de 2011 duas marchas diferentes, mas com muito em comum, se uniram em Florianópolis em uma linda manifestação que parou a maior avenida da cidade, quase sofreu repressão mas venceu pelo próprio espírito de um dos protestos: o direito de liberdade. Amplo, polêmico, com diferentes visões e ideologias, todos presentes e apenas desejando serem respeitados. Vejam as fotos.

Evento dos mais politemáticos que já foi visto em Florianópolis. Diversas tribos e ideologias, até opostas, lutando por algo comum: direito a liberdade! Lindo de se ver… e eis as fotos em https://picasaweb.google.com/ventomar/MarchaDaLiberdadeEMarchaDaVagabundas18062011Florianopolis.

Contei aproximadamente 300 participantes no trapiche da Beira-mar e 150 ao final na frente da casa do Governador. Cartazes muito divertidos (como pode-se ver nas fotos) e criativos protestando sobre coisas ótimas (desde os direitos animais, contra mídia comercial, NET-TV, respeito às mulheres, liberação de maconha, etc) e outras realmente revoltantes (como o Estupro RBS).

Duas passeatas se uniram por identificação, gerando manifestações bonitas: a marcha das vagabundas e a marcha da liberdade.

O público principal era formado de estudantes nível médio e universitários, todos muito jovens, idealistas e inexperientes; a marcha era pela liberdade após aprovações pelo STF do direito a esse tipo de manifestações, em momentos fomos “orientados” pela PM para não seguirmos nessa ou aquela direção ao ponto deles formarem barricada na avenida (vide fotos https://picasaweb.google.com/ventomar/MarchaDaLiberdadeEMarchaDaVagabundas18062011Florianopolis). Mas como protesto era absurdamente pacífico ninguém encarava apenas se desviava e atendia parcialmente o pedido segundo em frente. Estava prevista da Catedral, trapiche até o Koxixos. Neste a gurizada se arrepiou e falou: – Vamos até a casa do governador!

Não deu outra… aí a polícia que se arrepiou ao ponto de levantar os cacetetes para desviarmos e ficamos apenas na ciclovia. Até que respeitou-se e tudo acabou bem. Espero que o governador ouça um pouco do que o povo falou naquele dia… e considere.

E VIVA OS DIREITOS DOS PROFESSORES (os Catarinenses que estão em greve pelo governo daqui não lhes permitir o mínimo federal)!!! Estes sim deviam ganhar igual aos deputados e senadores daqui, com exatamente os mesmos benefícios. O que acham?

Algumas outras reportagens sobre esse dia:

http://storify.com/juliaeleguida/marcha-da-liberdade-dia-18-de-julho-em-florianopol esta concentra várias informações sobre o evento e de diversas fontes! RECOMENDO

Minhas fotos: https://picasaweb.google.com/ventomar/MarchaDaLiberdadeEMarchaDaVagabundas18062011Florianopolis.

http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,380,3357041,Cerca-de-200-pessoas-participam-da-Marcha-da-Liberdade-na-Avenida-Beira-Mar-Norte-em-Florianopolis.html

http://www.consuladosocial.com.br/?p=110482

http://www.alquimidia.org/sarcastico/index.php?mod=pagina&id=12036&grupo=116

http://ateuligente.blogspot.com/2011/06/marchas-da-liberdade-e-das-vagabundas.html

http://arraf.forumaqui.net/t4662-marchas-da-liberdade-e-das-vagabundas-se-unem-em-sc

http://www.flickr.com/photos/eduardovalente/5850304175

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5193785-EI8139,00-Marchas+da+Liberdade+e+das+Vagabundas+se+unem+em+SC.html

http://nejaim399.wordpress.com/2011/06/19/marcha-das-vadias-e-da-liberdade-se-juntam-em-sc/

http://correiodobrasil.com.br/fotos-da-marcha-das-vagabundas-e-marcha-da-liberdade-florianopolis-18062011/258330/

http://prod.midiaindependente.org/pt/blue/2011/06/493128.shtml

http://www.jb.com.br/pais/noticias/2011/06/18/marcha-da-liberdade-reuniu-300-jovens-em-florianopolis/

LEITURAS COMPLEMENTARES:

Páginas interessantes sobre o assunto, com outras opiniões. Leituras complementares. (Os links a seguir não necessariamente representam a opinião deste autor, alguns inclusive contradizem. Tem, portanto, função de enriquecer a discussão e fazer você desenvolver sua própria opinião.)

pqfeminista

PORTAL CATARINAS – jornalismo com perspectiva de gênero – http://catarinas.info/

Site Lado M – http://www.siteladom.com.br/ – Outro portal para empoderamento e igualdade de direitos para mulheres

1. Puta, Piranha, Vagaba não é Xingamento – http://www1.folha.uol.com.br/colunas/gregorioduvivier/2014/01/1393513-xingamento.shtml.

2. Vídeo mostra cantadas que mulher recebe nas ruas – http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/10/141028_video_cantadas_rb veja também http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/10/141031_shoshana_cantada_lab

3. Você sofre abuso de relacionamento? jout jout vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=I-3ocjJTPHg

4. 4 estereótipos femininos na mídia que você provavelmente não tinha notado – http://www.cadeomeucafe.com/4-estereotipos-femininos-na-midia-que-voce-provavelmente-nao-tinha-notado.

5. Cuidado: Entre quatro paredes: o machista de esquerda – https://hedra.com.br/blog/entre-quatro-paredes-o-machista-de-esquerda.

6. Quadrinho resume por que a história de que todo mundo tem as mesmas chances não é tão verdadeira assim – http://www.hypeness.com.br/2015/05/quadrinho-resume-o-porque-de-a-historia-de-que-todo-mundo-tem-as-mesmas-chances-nao-e-tao-verdadeira-assim-2/.

7. Oscar 2015: Atrizes se rebelam contra o machismo no tapete vermelho

8. HOMENS, SE LIGUEM: 8 atitudes para homens que querem ir além do 8 de Março. https://medium.com/@dcnisen/8-atitudes-para-homens-que-querem-ir-al%C3%A9m-do-8-de-mar%C3%A7o-6d5df366feaf#.ltfo0wv6a.

9. dez coisas que homens fazem errado durante o sexo. http://vulvarevolucao.com/2015/10/05/10-coisas-que-homens-fazem-errado-durante-o-sexo/.

10. 10 Filmes com Temática Feminista que Você Precisa Assistir. http://cineplot.com.br/index.php/2015/08/23/10-filmes-com-tematica-feminista-que/ (Frida não está na lista, mas é muito bom!).

11. Mulheres fazem até dez vezes mais trabalho doméstico do que homens – http://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,mulheres-fazem-ate-dez-vezes-mais-trabalho-domestico-que-homens–diz-relatorio,1736809.

12. 10 coisas incríveis que foram inventadas por mulheres – http://super.abril.com.br/blogs/superlistas/10-coisas-incriveis-que-foram-inventadas-por-mulheres/.

13. A incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem não quer – http://www.sabiaspalavras.com/a-incrivel-geracao-de-mulheres-que-foi-criada-para-ser-tudo-o-que-um-homem-nao-quer-2/.

14. Você é uma pessoa emocionalmente forte? – http://www.equilibriovida.com/2015/07/voce-e-uma-pessoa-emocionalmente-forte/.

15. 15 coisas que todo homem que AINDA é machista diz – https://www.buzzfeed.com/davirocha/frases-que-os-homens-precisam-parar-de-falar-para-suas-pa. E texto complementar: 20 coisas que os homens podem fazer para não serem machistas –  https://www.buzzfeed.com/alexandreorrico/ser-menos-machista?.

16. Cavalheirismo é machismo – http://www.papodehomem.com.br/cavalheirismo/.

17. O que um Casamento Aberto ensinou a um homem sobre Feminismo – http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2015/08/o-que-um-casamento-aberto-ensinou-um.html.

18. Campanha Chega de Fiu Fiu quer o fim do assédio a mulheres em locais públicos – http://www.oserrano.com.br/view.asp?tipo=Local&id=35511

19. As melhores cantadas de rua – https://www.youtube.com/watch?v=Y-5xCV1zysU.

20. A curiosa cidade onde as meninas desenvolvem pênis quando chegam à puberdade – http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=35650.

21. As Hiper Mulheres do Xingu – Esqueça o que aprendeu sobre “comportamento sexual feminino” – https://asminanahistoria.wordpress.com/2015/09/29/as-hiper-mulheres-esqueca-o-que-aprendeu-sobre-comportamento-sexual-feminino/.

22. 10 Female Revolutionaries That You Probably Didn’t Learn About In History class – http://www.filmsforaction.org/articles/10-female-revolutionaries-that-you-probably-didnt-learn-about-in-history-class/.

23. 23 Gendered Products That Prove How Truly Fragile Masculinity Is – http://www.buzzfeed.com/lukebailey/fragile-masculinity-lol?utm_term=.rxDL5ZnyD6#.ejX9vgnXYL.

24. 24 Horas Sem Estupro” por Andrea Dworkin – http://www.catarticos.com.br/doce/24-horas-sem-estupro-andrea-dworkin/.

25. Tentei Dizer ‘Sim’ para Todo Cara Bizarro que me Abordou na Rua por Duas Semanas. https://www.vice.com/pt_br/read/tentei-dizer-sim-para-todo-cara-bizarro-que-me-abordou-na-rua-por-duas-semanas.

26. Feminismo para homens, um curso rápido em 26 lições, por Alex Castro – Geledés http://www.geledes.org.br/feminismo-para-homens-um-curso-rapido-em-26-licoes-por-alex-castro/.

27. E se eu te contar que você é feminista?. http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/ruth-manus/e-se-eu-te-contar-que-voce-e-feminista/.

28. Parece 1915, mas é 2015: campanha usa notícias para abordar igualdade de gênero. http://www.adnews.com.br/publicidade/parece-1915-mas-e-2015-campanha-usa-noticias-para-abordar-igualdade-de-genero e veja o video abaixo (inglês)

29. Parabéns, atingimos a burrice máxima – A “baranga” Simone de Beauvoir e a importância de um livro que ensina a conversar com fascistas. http://brasil.elpais.com/brasil/2015/11/09/opinion/1447075142_888033.html.

30. UFSC Explica: Feminismo. http://noticias.ufsc.br/2015/11/ufsc-explica-feminismo/.

31. Jout Jout, Clarice e o feminismo branco. http://www.fridadiria.com/jout-jout-clarice-e-o-feminismo-branco/.

32. Mulheres elegem filmes e livros (sobre mulheres) que você precisa conhecer. http://brasil.elpais.com/brasil/2015/11/12/cultura/1447350789_035135.html.

33. Precisamos falar sobre estupros em ambientes universitários. http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/nana-soares/precisamos-falar-sobre-estupros-em-ambientes-universitarios/.

34. Uma mulher é estuprada a cada três horas no Brasil. http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2016/01/uma-mulher-e-estuprada-cada-tres-horas-no-brasil.html.

35. Tratado sobre a emancipação da mulher – Uma feminista no Brasil de 1868. http://blog.bbm.usp.br/2015/tratado-sobre-a-emancipacao-da-mulher-uma-feminista-no-brasil-de-1868-2/.

36. É possível ser feminina e feminista? A resposta curta é: sim. A longa é este artigo. http://www.cartacapital.com.br/sociedade/e-possivel-ser-feminina-e-feminista?.

37. Lugar de homem é na cozinha: Pai dá cozinha de brinquedo ao filho: ‘Quero que ele seja melhor do que eu’. http://blogs.oglobo.globo.com/pai-pra-toda-obra/post/pai-da-cozinha-de-brinquedo-ao-filho-quero-que-ele-seja-melhor-do-que-eu.html?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=O+Globo.

38. 5 Coisas que mulheres hesitam em fazer por medo de assédio. http://ano-zero.com/medo-de-assedio/.

39. Sobre feminismo radical e as alcunhas misóginas de “TERF” e “Transfobia”. http://escriturasradicais.blogspot.com.br/2015/06/sobre-feminismo-radical-e-as-alcunhas.html?m=1.

40. Sexismo | Nerdologia 125. https://www.youtube.com/watch?v=cpnJ4psOoZc

41. Música feminista de estudante da UFSC viraliza na internet – http://obaratodefloripa.com.br/musica-feminista-de-estudante-da-ufsc-e-viraliza-na-internet/ .

42. Why men interrupt women. http://www.dailydot.com/opinion/eric-schmidt-google-manterruption-sxsw/.

43. Sexo casual não precisa ser vazio, frio, raso. http://lounge.obviousmag.org/coffee_is_my_boyfriend/2015/09/sexo-casual-nao-precisa-ser-raso.html.

44. Após relato masculino de assédio, mulheres dão ‘aula’ de igualdade de gênero com sarcasmo e bom humor. http://www.hypeness.com.br/2016/03/apos-relato-masculino-de-assedio-mulheres-dao-aula-de-igualdade-de-genero-com-sarcasmo-e-bom-humor/.

piadas sexistas

45. Steven Pinker & Elizabeth Spelke | The Science of Gender & Science | Mind Brain Behavior Discussion. https://www.youtube.com/watch?v=-Hb3oe7-PJ8.

46. Como as mulheres paquistanesas são punidas por se apaixonarem – http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/12/141214_mulheres_paquistao_yh_cc.

47. O machismo também mora nos detalhes – http://thinkolga.com/2015/04/09/o-machismo-tambem-mora-nos-detalhes/.

48. Guia rápido para não ser imbecil com as mulheres – http://academiadraft.com/guia-rapido-para-nao-ser-imbecil-com-as-mulheres/.

49. Consentimento e abuso sexual através de uma metáfora com chá – https://www.youtube.com/watch?v=ckUYhFrVJlc.

50. Somos as netas de todas as bruxas que vocês não conseguiram queimar – Geledés http://www.geledes.org.br/somos-netas-de-todas-bruxas-que-voces-nao-conseguiram-queimar/#ixzz4BtPSZVvN.

51. Coleção sobre antiprincesas e antiheróis ajuda a desconstruir estereótipos de gênero em sala de aula  – Livros resgatam personagens latino-americanas como Frida Kahlo, Violeta Parra e Clarice Lispector – http://www.cartaeducacao.com.br/reportagens/colecao-sobre-antiprincesas-e-antiherois-ajuda-a-desconstruir-estereotipos-de-genero-em-sala-de-aula/.

52. RELACIONAMENTO É PARCEIRIA E NÃO PROPRIEDADE – https://ventomar.wordpress.com/2015/06/08/relacionamento-e-parceria-e-nao-propriedade/.

53. Machismo em pauta: jornalistas na mira do assédio – http://www.revistaforum.com.br/brasilprofundo/2016/07/24/machismo-em-pauta-jornalistas-na-mira-do-assedio/.

54. Monogamia, Liberdade e Feminismo – http://aquelasmulheres.tumblr.com/post/74082902329/monogamia-liberdade-e-feminismo.

55. Feminismo não é o contrário do machismo por Mario Sergio Cortella – Geledés http://www.geledes.org.br/feminismo-nao-e-o-contrario-do-machismo-por-mario-sergio-cortella/.

https://www.4shared.com/mp3/yoyzWAkuce/Feminismo_por_Mario_Sergio_Cor.html

56. QUIZ! Quem disse isto: Jair Bolsonaro ou Eric Cartman?. http://www.brasilpost.com.br/2015/11/05/cartman-ou-bolsonaro_n_8410950.html.

57. O poder do exemplo: sobre homens no feminismo – http://papodehomem.com.br/valente-nao-e-violento/.

58. Homens podem (e devem) ser Feministas! – https://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2014/06/homens-podem-e-devem-ser-feministas.html.

59. Ensaios de Gênero: Um espaço para se ensaiar política, educação, feminismo e coisas do gênero… – https://ensaiosdegenero.wordpress.com/.

60. Roda Viva Internacional | Camille Paglia | 22/10/2015. Ela falará de sua revisão do feminismo e cultura ocidental. – https://youtu.be/KlYR1isM2o8.

61. Como foi transar com uma vítima de estupro – https://trendr.com.br/como-foi-transar-com-uma-vitima-de-estupro-9210eea52090. E uma resposta a este texto com outras sugestões de textos semelhantes mas escritos por mulheres: Estupro não é recurso narrativo para a sua comédia romântica pessoal – http://www.deixadebanca.com.br/2016/09/estupro-nao-e-recurso-narrativo-para.html. E também uma versão lésbica mostrando essa realidade: Como foi transar com uma mulher” – https://medium.com/@sapataria/como-foi-transar-com-uma-mulher-81933bcf6c20#.ksejod7c2.

62. Atrizes se rebelam contra machismo no tapete vermelho do Oscar 2015 – http://g1.globo.com/pop-arte/oscar/2015/noticia/2015/02/oscar-2015-atrizes-se-rebelam-contra-o-machismo-no-tapete-vermelho.html.

63. Como seria se as manchetes de portal dispensassem o Machismo – http://nodeoito.com/se-manchetes-tratassem-mulheres-como-gente/.

64. Por que os homens são responsáveis por 95% dos homicídios no mundo? ou “Enquanto homens são mortos por alguém que não conhecem, quase metade de todas as mulheres mortas são vítimas de pessoas mais próximas a elas” – http://www.bbc.com/portuguese/internacional-37730441.

65. Precisamos falar com os homens? Uma jornada pela igualdade de gênero / ONU Mulheres Brasil – https://www.youtube.com/watch?v=jyKxmACaS5Q.

66. ESTATÍSTICAS: A percepção dos homens sobre a violência – http://www.livredeabuso.com.br/a-percepo-dos-homens.

67. Lado M: Por que há tanta mulher com medo de se declarar feminista? – http://www.siteladom.com.br/medo-de-se-declarar-feminista/.

68. A cineasta Dea Ferraz foi investigar como os homens enxergam as mulheres e o resultado está em ‘Câmara de Espelhos‘ – http://www.brasilpost.com.br/2016/09/22/camera-de-espelhos_n_12130572.html.

69. Conheça catarinenses que abrem espaço à diversidade na internet – http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2017/01/conheca-catarinenses-que-abrem-espaco-a-diversidade-na-internet-9325323.html.

70. Qual é meu Gênero? | Louie Ponto | Especial Dia da Mulher – https://www.youtube.com/watch?v=LV7l13SZcw8.

71. Como saber se sou lésbica?| Louie Ponto – https://www.youtube.com/watch?v=prLICzyhYDM.

72. Sinais de que eu sou um machista de esquerda – https://papodehomem.com.br/sinais-de-que-eu-sou-um-machista-de-esquerda/ ou em español: Señales de que soy machista de izquierda – https://medium.com/@danilocastelli/se%C3%B1ales-de-que-soy-machista-de-izquierda-f94891e472d#.xt668ft2h.

73. não-monogamia, dependência emocional e autocuidado – http://nonsensemushroom.tumblr.com/post/115077394145/n%C3%A3o-monogamia-depend%C3%AAncia-emocional-e-autocuidado.

74. Como combater a violência doméstica discutindo masculinidade – https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/02/16/Como-combater-a-viol%C3%AAncia-dom%C3%A9stica-discutindo-masculinidade e
Cartilha: “Vamos falar sobre masculinidade?” – https://www.defensoria.sp.def.br/dpesp/repositorio/41/Cartilha_masculinidade_machismo_feminilidade%20(1).pdf.

75. Iniciativas contra o assédio de mulheres no Carnaval se espalham. Estes são 4 exemplos – https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/02/26/Iniciativas-contra-o-ass%C3%A9dio-de-mulheres-no-Carnaval-se-espalham.-Estes-s%C3%A3o-4-exemplos.

76. Quando se deram importantes conquistas femininas no Brasil (notícia e Quiz) – https://www.nexojornal.com.br/interativo/2017/03/06/Quando-se-deram-importantes-conquistas-femininas-no-Brasil.

77. A construção da igualdade em um mundo polarizado. Uma seleção de (+ de 200) textos, gráficos, interativos que tratam do lugar das mulheres na nossa sociedade – https://www.nexojornal.com.br/index/mulheres/.

78. No Dia da Mulher, nada a comemorar: O Brasil é um dos piores lugares do mundo para se nascer menina, aponta relatório. Os indicadores confirmam  – https://www.cartacapital.com.br/revista/942/no-dia-da-mulher-nada-a-comemorar.

79. “Assinava os e-mails com o nome dela e me tratavam pior”: um experimento sobre o machismo no trabalho. Martin se apresentou como Nicole aos seus clientes: “Vivi um inferno. Todas as minhas sugestões eram questionadas” – http://brasil.elpais.com/brasil/2017/03/12/internacional/1489318560_920454.html.

80. De conservadora evangélica a feminista, o desabafo de Patrícia Lélis. Jovem que denunciou o pastor Marco Feliciano por abuso sexual publica desabafo: “Até o ano passado eu defendia a direita, frequentava igreja evangélica e condenava o feminismo. Você deve estar se perguntando o que me levou a ser contra algo que só luta por igualdade. Vamos lá, vou te explicar […]”http://www.pragmatismopolitico.com.br/2017/04/de-conservadora-evangelica-a-feminista-o-desabafo-de-patricia-lelis.html.

81. VÍDEO: Quebrando o tabu: Não consigo parar de achar que quem se diz contra o feminismo só diz isso porque não entendeu o que é. Você concorda? Todas pessoas podem e devem ser feministas! –  https://www.facebook.com/quebrandootabu/videos/1503521343037581/.

82. Mulheres podem ter múltiplos maridos? (em inglês) – https://www.youtube.com/watch?v=SmcwTSoyRF0 ou em https://www.facebook.com/tinytinysecrets/videos/874906262648120/.


.

>>>> Denunciem violência contra a Mulher – LIGUEM 180

>>>> Mulher finge estar bêbada e pede ajuda para testar reação de homens >> https://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/em-video-mulher-finge-estar-bebada-e-pede-ajuda-para-testar-reacao-de-homens/.

>>> Manual para uso não sexista da linguagem – http://www.spm.rs.gov.br/upload/1407514791_Manual%20para%20uso%20n%C3%A3o%20sexista%20da%20linguagem.pdf.
Também em https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=2&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwid2bPn1tfOAhWJkJAKHdToBHEQFgghMAE&url=http%3A%2F%2Fwww.observatoriodegenero.gov.br%2Fmenu%2Fpublicacoes%2Foutros-artigos-e-publicacoes%2Fmanual-para-o-uso-nao-sexista-da-linguagem&usg=AFQjCNGwweNJfQFktlww8MZFk11LNqUIMw&sig2=7rKxlubc78hwmHv8z0tpdQ&bvm=bv.129759880,d.Y2I.

>> A insustentável leveza do não-orgasmo e a falsa liberdade sexual feminina – https://versoando.wordpress.com/2015/08/03/a-insustentavel-leveza-do-nao-orgasmo-e-a-falsa-liberdade-sexual-feminina/.

>>>> Essas tirinhas resumem bem porque deveríamos todos ser feministas – http://miscelanea.biz/essas-tirinhas-resumem-bem-porque-deveriamos-todos-ser-feministas/.

Antes de criticar o feminismo, entenda: http://www.cartacapital.com.br/blogs/feminismo-pra-que/feminismo-para-leigos-3523.html

Para se proteger durante protestoshttps://protestos.org/#submission

mulherondequiser

Jogo Role Playing Games desde 1994 e agronomia desde 1998. Ao entrar nas ciências agrártias, me deparei com alguns professores que, instintivamente, lecionavam com vários toques de RPG, criando simulações o tempo todo com os alunos, fossem em suas aulas ou através de seus textos ou até nas provas. A esses professores inspiradores eu dedico este espaço e espero que um dia se orgulhem disso – Professor Airton Auzani Uberti e Mário Vincenzi são bons exemplos.

Em breve publicarei neste espaço exemplos de como isso pode ser usado.